A Introdução Alimentar da Julia, paciência e auxílio na hora do cocô sólido.

 

Nham!

Nham!

Postei algumas fotos da Julia começando a comer papinha de frutas, suco e papinha salgada e por conta disso surgiram pedidos para que eu falasse sobre a Introdução Alimentar e nova rotina dela.

Vou dividir aqui o que a pediatra das meninas pediu, porém a introdução alimentar do seu bebê SEMPRE deve ser de acordo com a pediatra do SEU filho pois só ele(a) conhece o histórico de saúde dele, a curva de crescimento dele e suas necessidades. Tanto que foi diferente a introdução da Laura, 5 anos atrás, da da Julia hoje (por exemplo: Julia começou as frutas com 5 meses enquanto Laura começou aos 4 meses). O post sobre a introdução da Laura está aqui 🙂

FRUTAS

Julia feliz depois da papinha de pera com ameixa <3

Julia feliz depois da papinha de pera com ameixa da Gourmetzinho (falo mais abaixo) <3

Quando completou 5 meses, foi hora de começarem as papinhas de frutas. Amassadinhas com garfo (evitar bater no mixer ou no liquidificador, para não ficar muito líquido e assim não perder a textura. Conhecer novas texturas é importante durante a introdução alimentar. Não precisa ser uma fruta sozinha, pode ser banana com laranja, pera com ameixa (Julia AMA essa) e outras misturas. 2x por semana coloco 1 colher de chá de farelo de aveia misturadinho nas frutas, para dar mais fibra.

Cuidados e lembretes

– De preferência EVITAR (aqui a gente não dá MESMO) kiwi, morango e abacaxi. Abacaxi por ser muito ácido e kiwi e morango por poder ter muito agrotóxico.

– Mamão pode ter a casca também com muito agrotóxico. É preciso cuidado ao cortar e recomenda-se lavar bem a faca e cortar de uma vez ele no meio. Daí usar outra colher para pegar o recheio, tomando bastante cuidado com a proximidade com a casca por dentro.

– Lembrar e equilibrar as frutas laxantes (como mamão, abacate e ameixa, por exemplo) com as obstipantes – que podem prender o intestino (como maçã e banana-maçã, por exemplo).

– Dentre as mangas, prefira a Palmer, que tem menos fibras e fica mais fácil de amassar e dar

  • NÃO adicione açúcar. Evite dar açúcar para as crianças, pelo menos, até 2 anos de idade (se eu consegui com a Laura e o bando de festa infantil que a gente vai, você também consegue HAHAHA).

Dica: no caso da papinha de Pera com Ameixa não fui eu quem fez não (quem me conhece sabe que sou uma negação na cozinha hahaha A papinha é da Gourmetzinho, marca de Campinas que me mandou para degustação e agora não vivo sem porque a Julia AMOU (como mostram essas fotos). As papinhas deles são congeladas em câmara fria, numa temperatura bem baixa, por isso não utilizam conservantes. Recomendo FORTEMENTE.

INTRODUÇÃO PAPINHA SALGADA + SUCO/ÁGUA

Aos 6 meses chegou a hora introduzir a papinha salgada. E essa introdução vai mudando aos poucos.

Na 1ª semana: ao invés de refogar antes de colocar os legumes, colocar o músculo ou o frango junto dos ingredientes na panela para que o gosto se misture. Na hora de dar a papinha, ainda não dar a carne ou o frango para o bebê, deixar apenas sentir o gosto de tudo misturado/amassado. Papinha apenas no almoço.

Na 2ª semana: Já refogar o músculo ou frango antes de adicionar os legumes. Desfiar bem fininho antes de dar para o bebê, para não ter risco de engasgar.

10 dias após o início da introdução: Além do almoço, agora introduzir o jantar no lugar da mamada do fim da tarde.

Quando o bebê entrar no 7º mês: Introduzir o ovo bem aos poucos de forma que, se o bebê for alérgico, não tenha reação grave. Cozinhar o ovo e pegar apenas uma colherzinha (de café) da GEMA durinha para misturar na papinha. Se não houver reação, pode aumentar na próxima, respeitando apenas o máximo de 2 gemas por semana. Quando certo que o bebê não tem alergia, pode ir colocando a clara também.

INGREDIENTES:

Começar com 1 carne (ou frango) e adicionar 3 ingredientes, um de cada grupo abaixo (deixando o grupo 4 de fora na 1ª semana). A cada papinha feita, tentar mudar os ingredientes dos grupos e, à partir da 2ª semana introduzir um ingrediente do grupo 4. Essa variação é importante para que o bebê conheça mais e mais alimentos e não acostume apenas com alguns.

– Carne (músculo) ou Frango +

1) Legumes: Cenoura, Beterraba, Chuchu, Abóbora, Abobrinha, Vagem, Couve-Flor, Beringela, etc.

2) Tubérculos: Batata, Batata Doce, Inhame, Mandioca, Mandioquinha, etc.

3) Verdura (folhas verdes): Espinafre, Couve, Escarola, Brócolis, Acelga, Repolho, Salsão, Alface, Agrião, etc.

4) Grãos: Feijão, Lentilha, Grão de Bico, Ervilha, Milho Verde, etc.

– Temperos: cebola, tomate e salsinha.

Depois de cozinhar tudo junto, passar na peneira (embora a peneira possa acabar retendo parte das fibras) ou amassar no garfo (prefiro). Assim como na fruta, é importante demais que o bebê sinta a textura dos alimentos, então nada de mixer ou liquidificador. NÃO adicione sal,deixe o bebê conhecer o sabor dos alimentos. O sódio é prejudicial.

SUCOS E ÁGUA

No caso da Laura, o suco começou com as frutas no 4º mês, já na Julia começamos apenas com a papinha salgada. Sinceramente, ela ainda dá uns 2 golinhos e passa a trancar a boca. Para suco e água a estranheza anda grande aqui por enquanto ahahaha

Laranja, Tangerina, Cenoura, Melão, Melancia, água de Côco…Pode misturar também e dar junto. Mais ou menos de 50ml à 100ml apenas 1x ao dia por enquanto.

UPDATE: Tenho lido alguns comentários sobre apenas introduzir suco depois do 1° ano da criança para não atrapalhar o processo da introdução alimentar e também pela questão do açúcar. Eu realmente nunca tive essa recomendação da pediatra das meninas e é por isso que eu friso desde o início desse post (e em muitos posts): quem sabe sobre a alimentação do SEU filho é o pediatra dele (ou nutricionista infantil) que tenha o histórico e conhecimento de desenvolvimento dele.

ROTINA DE ALIMENTAÇÃO DA JULIA

A pediatra montou uma rotina apenas para seguir como modelo. Caso a Julia esteja cochilando na hora de uma das alimentações, eu não acordo para alimentar (dormir é MUITO importante para o bebê, depois falo sobre isso aqui no blog). Espero ela acordar e vou ajustando os horários. Geralmente ela tem fome por volta desses horários mesmo.

Ao acordar (geralmente umas 7hs): Mamada

9hs: Papinha de frutas

11hs: Almoço

15hs: Mamada

18hs: Mamada (e à partir do 10º dia, aqui entra o JANTAR)

20:30hs: Banho

21hs: Mamada no escuro e ela já dorme.

PACIÊNCIA E TÁTICA

Colher pra cima :)

Colher pra cima 🙂

Nesse período de introdução alimentar, assim como qualquer fase de desenvolvimento do bebê requer uma coisa: PACIÊNCIA. É tudo novo pro bebê, texturas, o sólido… Não ache que o bebê vai sair comendo, pensando no quanto você gosta de comer hahaha Eu lembro que na Laura eu estava ansiosíssima para dar suco de laranja lima pois poxa que delícia depois de ficar meses só no leite. Ela detestou hahahaha

Nessas tentativas você vai observar que parece que o bebê está cuspindo e empurrando tudo para fora. Mas nem sempre é intencional ou porque o bebê está rejeitando a comida. Muitas vezes a língua empurra a comida para fora da boca porque o bebê ainda não sabe como fazer para “trazer a comida para dentro”. O que me ajudou MUITO foi apoiar a colher no lábio superior, “deixando” a comida no céu da boca, assim a língua “não briga” com a colher e a comida não fica na ponta da língua e sim um tiquinho mais para trás. Mas cuidado para não empurrar para o fundo para que o bebê não engasgue, é coisa pouca. Fiz essa foto acima para tentar mostrar como dou.

Como a Julia ainda não senta e não dá para usar cadeirão, uso a cadeirinha de brincar (bouncer) ou carrinho mesmo.

DIFICULDADE DE FAZER COCÔ

É absolutamente normal o bebê ficar alguns dias sem fazer cocô quando introduzida a alimentação (frutas nem tanto, mas papinha salgada é certeiro). Depois de aproximadamente 1 semana o cocô começa a ficar sólido o que, por consequência, traz um pouco de dificuldade para o bebê evacuar. Acostumado com cocô líquido, mais fácil de sair, o bebê pode até chorar fazendo força (aconteceu aqui nas duas vezes). Quando percebi a dificuldade, fiz minha tática de ajuda para o cocô sair, algo que dividi no instagram do blog e ajudou MUITA gente. Divido com vocês abaixo:

Vamos lá pra dica que a pediatra das meninas ensinou e que é infalível aqui com a gente, desde a Laura: 1. Água quentinha (e eu pingo Dermacyd Infantil por causa do cheiro e da higiene, mas é coisa minha, não faz diferença para fazer o cocô) + bastante algodão. 2. Abra a fralda do bebê mas deixe embaixo (ou coloque uma nova/vazia). 3. Segure as perninhas do bebê com uma mão de forma que ela pressione um pouco a barriga (ajuda a eliminar gases essa posição) 4. Encharque um pedaço de algodão e esprema a água quentinha no espaço entre a pererequinha/pipi e o ânus, deixando escorrer quentinho de um pro outro. Aguarde um pouquinho. Se não sair nada, mantenha um pouco o algodão quentinho no ânus. Vá repetindo várias vezes pois assim que começar, o estímulo dessa água continua ajudando. 5. Seja ágil pra levantar a fralda como EU NÃO FUI hahaha Assim você evita os jatos de cocô na sua pessoa hahaha #dicadapediatra #prasairococô

Um vídeo publicado por Blog Mamãe de Primeira Viagem (@mamaede1aviagem) em

É isso. PACIÊNCIA, PERSEVERANÇA e criatividade na junção dos legumes. Vai dar tudo certo!! Leva tempo, mas uma hora vai hahahah

Beijokas!

 P.S: Agradeço a nutricionista e mãe @lucianaalmeida e a @chefedepapinha (o nome já diz tudo) pelas dicas dadas no meu instagram e que aqui foram adicionadas 😉

Comente!

  • Aline Jardim Machado

    Amei Mari!! Também já iniciei a introdução alimentar com meu bebê de 6 meses, ele é super guloso e não rejeita nada! e aproveitei para pegar umas dicas com vc! te admiro muito como mãe ! Um super beijo! Aline, mamãe do Isaac, de Macaé/ RJ

  • Hugo Méndez Hernández

    Aqui um enlace de por que não é recomendável dar suco (nao pasteureizados ou de caxinha) aos bebês: http://wholesomebabyfood.momtastic.com/juiceforbaby.htm

  • Cris Mendes

    Vc só dá mamada ou seja o seio três vezes no dia? O leite materno não diminuiu não?

  • Daiane Areda

    Deus te abençoe grandemente pelas dicas.