E fomos para a linda Buenos Aires! – Parte 1!

Feliz aniversário portenho, Vovó!

Feliz aniversário portenho, Vovó!

 
Minha mãe faz aniversário dia 9 de agosto e fizemos uma viagem para Argentina para celebrar o dia dela. O plano inicialmente era chegar em Buenos Aires dia 7 de noite, dormir lá, passar o dia na cidade dia 8 e partir no fim da tarde para Lobos, uma cidade a 100kms de lá, e passar o fim de semana na fazenda de um amigo de Mamy. PORÉM, tudo mudou hahaha
 
Chegamos a Buenos Aires e uma tempestade havia caído na região de Lobos, não só bloqueando o acesso e a estrada de terra, como deixando a casa sem luz, telefone, sem podermos usar cozinha e etc. Fuéééén! Mas, como se trata de uma cidade tão cheia de possibilidades, beleza e cultura, ninguém ficou tão arrasado assim 🙂
 
Eu havia comprado o livro “Buenos Aires com Crianças – Aventurinhas na terra do Dulce de Leche”, da jornalista Fernanda Paraguassu na semana anterior à viagem para programar o que fazer na cidade nesse que seria o único por lá. Era uma dúvida danada decidir apenas algumas coisas e acabamos por usar bem mais o livro, que é ÓTIMO!
 
A Cidade
Eu já tinha ido algumas vezes, com minha mãe, sozinha, com meu marido. Já havia feito viagem romântica, desbravadora, visto o tango, ido às feirinhas, ao Boca… Mas ir com criança me fez ver o quanto a cidade é receptiva com eles. Antes de ir, já havia lido no livro acima: “Em Buenos Aires são bem vindas. Há inúmeros espaços dedicados a elas, ainda que simples, porém acolhedores e cheios de boa informação.” Chegando lá, constatei isso em todos os cantos: fosse em um restaurante onde não havia brinquedoteca ou papel para pintar, fosse em um taxi ou na rua mesmo, os portenhos eram carinhosos e receptivos com a Laura, cheios de sorrisos e brincadeiras.
 
O Hotel
Escolhi na booking.com mesmo. Achei um hotel delicioso e bem localizado e com preço bem razoável por estar onde está: cerca de 80 dólares. Chama-se Esplendor Plaza Francia  e fica na Recoleta, em um quarteirão entre a enorme Av. del Libertador e Calle Posadas (rua delícia que tem desde restaurantes, cafés, até o shopping Patio Bulrich). Fica também a poucos metros da praça principal da Recoleta, onde estão o Cemitério da Recoleta, a igreja Nossa Senhora do Pilar, dois shoppings, cafés deliciosos (amo o La Biela) e muito mais.
 
Laura e vovó na saída da Igreja Nossa Senhora de Pilar, na Recoleta.

Laura e vovó na saída da Igreja Nossa Senhora de Pilar, na Recoleta.

 
Dia 1: Zoológico, almoço e passeios
 
20140808_110500_red
 
Começamos nosso dia indo direto ao Jardín Zoológico de Palermo, um dos únicos ainda no centro de uma grande cidade. Ele foi inaugurado no final do século 19 e está localizado em 18 hectares, no coração da cidade, perto dos Bosques de Palermo, com 350 espécies de aves, mamíferos e répteis mais de 3 mil animais. Custou 120 pesos (cerca de R$ 30,00) por pessoa, mas crianças abaixo de 12 anos não pagam.
 
Os bichos ficam relativamente e e soltos em lugares que remetem à sua natureza, sua espécie. Laura PIROU com tudo, mas, principalmente do quão perto ficou das girafas e elefantes e do quanto correu com as lebres, que se aproximavam sem medo. Você pode comprar comida especial para os animais e alimentá-los.
 
Laura batendo um papão com uma das muitas lebres soltas pelo Zôo <3

Laura batendo um papão com uma das muitas lebres soltas pelo Zôo <3

<3

<3

IMG_0868_red

 

Por falar em pirar, já falei aqui da paixão da Laura por carrosséis, né? Pois bem, no zoológico há dois deles, ambos de 2 andares. IMAGINE quantas voltas demos? Hahaha Pertinho de um deles estão as girafas e pertinho do outro está um parquinho bem gostoso. Dá para sentar um pouquinho enquanto as crianças se divertem 🙂
 
Como ama um Carrossel!

Como ama um Carrossel!

Ambos os carrosséis do Zôo tem dois andares :)

Ambos os carrosséis do Zôo tem dois andares 🙂

E depois se jogou no parquinho do Zôo.

E depois se jogou no parquinho do Zôo.

Na saída pegamos uma das várias charretes (lá se chama “mateos”) e passeamos pela área que abrange os Bosques de Palermo. Descemos em um ponto próximo à táxi e fomos almoçar. 
 
Tentamos almoçar no Morena que nos foi super recomendado e onde a vista parecia ser linda (fica na Costanera, próxima ao aeroparque), mas ao chegar soubemos que só abre para almoço aos domingos (era 6ª feira). Fuéééén  de novo hahaha Fomos então a Puerto Madero, que amooooo, para almoçar no La Cabaña. Melhor morcilla da minha vida, panqueca de doce de leite, parabéns pra vovó Fafá e muito espaço para correr depois hahaha Em Puerto Madero há muitas opções de restaurantes e o passeio ali é super gostoso. Aproveite para fazer a digestão caminhando 🙂
 
Voltamos para descansar um pouco no hotel, onde Laura assistiu um pouco dos seus desenhos preferidos, mas em espanhol, pelo Disney Jr. argentino. “Dotora Juguetes” ao invés de Doutora Brinquedos e por aí vai hahaha
 
De noite saímos para andar pela Calle Posadas e fomos ao El San Juanino comer as famosas (e maravilhosas) empanadas argentinas. No menu, algumas opções de massa e Laura se jogou no macarrãozinho ao molho de tomate. Nham!
 
Dia 2: Recoleta e bastante Parques Palermo
As enormes árvores da cidade, pelas ruas da Recoleta.

As enormes árvores da cidade, pelas ruas da Recoleta.

Após o café delícia do hotel, saímos para passear pela Recoleta. Suas árvores gigantescas, a feirinha na praça, a igreja para agradecer o aniversário de Mamy, a vida, a família. Fomos passeando pelo bairro, paramos para um café no Recoleta Mall e seguimos para a Plaza Emilio Mitre, onde há um parquinho gostoso e mais um carrossel – dessa vez mais simples, mas onde Laura se jogou igualmente feliz.
 
Vale um parênteses aqui: os carrosséis e os parquinhos. Você encontra muitas praças e parques em Buenos Aires e, em algumas delas, os carrosséis – ou Calesitas, como eles chamam. 30 deles foram declarados patrimônio da cidade em 2008. Além de super bem conservados, o legal dos parquinhos nas praças é que eles têm grades em volta e não permitem a entrada de cachorros, então dá para ficar ainda mais tranquilo quanto à criança brincar solta e sozinha nos brinquedos.
UPDATE para esclarecimento: Buenos Aires é um dos lugares mais repletos de cachorros que vi na vida. Coisa linda de se ver a quantidade deles <3 Porém, muitas vezes estão  soltos. Quando eu digo que é bom o fato de eles não entrarem nos parquinhos é por conta de higiene e segurança das crianças. Nas praças onde os parquinhos estão, eles correm livremente, apenas na área dos brinquedos é que há a cerca para a criança não sumir correndo e para que os cães não entrem. O piso é daqueles mais fofinhos e o xixi do cachorro, tanto no piso quanto nos brinquedos, não seria legal para as crianças. Assim como no Brasil, não são todos os donos que recolhem o cocô e muitas vezes tínhamos que desviar nas calçadas. Ou seja, poderia ter cocô deles ali onde as crianças caem, correm, colocam a mão. Fora isso, assim como com humanos, não é em todo e qualquer animal que podemos confiar. Uma brincadeira de criança, uma sapequice, pode fazer o cãozinho pular de alegria e derrubá-las – ou até um cão mais bravo. Certo? 🙂
 
Os parquinhos cercados, seguros e bem cuidados de Buenos Aires. Esse, na Plaza Emilio Mitre e Laurinha descendo pelo escorregador, após 300 voltas no carrossel de lá.

Os parquinhos cercados, seguros e bem cuidados de Buenos Aires. Esse, na Plaza Emilio Mitre e Laurinha descendo pelo escorregador, após 300 voltas no carrossel de lá.

De lá seguimos para o Parque Tres Febrero (ou Bosques de Palermo), onde a Laura correu, brincou e viu muita gente tomando sol, caminhando, andando de bicicleta e patins (aliás, MUITOS de patins). Entramos pelo Rosedal, mas, como estamos no inverno, estava todo seco. Em outras épocas do ano há mais de 12mil rosas lindas e abertas deixando o parque ainda mais lindo. Passeamos pelo Rosedal, pelo parque, atravessamos a linda ponte de madeira (construída em 1914) e alugamos um pedalinho para passear pelo lago.
 
Laura livre, leve e solta correndo pelo Parque Três de Febrero, rumo ao Rosedal.

Laura livre, leve e solta correndo pelo Parque Três de Febrero, rumo ao Rosedal.

Curtindo um pedalinho para 4 pessoas ( nós na parte traseira e papai e vovó pedalando horrores hahaha)

Curtindo um pedalinho para 4 pessoas ( nós na parte traseira e papai e vovó pedalando horrores hahaha)

A fome bateu e fomos para uma parrillada (churrasco a moda argentina) incrível, no El Primo  (Palermo). Embora a parrilla seja o prato mais famoso e pedido, experimente as lulas empanadas de entrada que são maravilhosas. Esse lugar de noite BOMBA de gente, os jovens amam, mas no almoço é mais sossegado.
 
Mamy foi às compras e nós? Voltamos pro Parque hahahaha Afinal, lá tem carrossel (esse construído no século 18 e também de 2 andares) e mais coisas gostosas. Alugamos uma bicicleta tamanho família e Laura foi toda feliz na frente enquanto eu e o pai pedalávamos 🙂
 
A bicicleta-família <3

A bicicleta-família <3

Selfie vesga do passeio na bicicleta-família <3

Selfie vesga do passeio na bicicleta-família hahaha <3

E dá-lhe carrossel hahaha esse, construído no século 18.

E dá-lhe carrossel hahaha esse, construído no século 18.

No caminho para o hotel passamos no supermercado para comprar suco, no El SanJuanino para encomendar o macarrão que a Laura amou e no Shopping Patio Bulrich para comprar queijinhos, frios e vinho na Valenti  (além de tomar um delicioso sorvete de doce de leite). Acabamos por apenas fazer um lachinho no hotel ao invés de sair naquela friaca hahaha
 
Para o post não ficar muito longo (até porque AMO um foto, né? ahaha), dividi em 2 posts.
Até próximo, queridos!!
 

Comente!