E fomos para a linda Buenos Aires! – Parte 1!

Feliz aniversário portenho, Vovó!

Feliz aniversário portenho, Vovó!

 
Minha mãe faz aniversário dia 9 de agosto e fizemos uma viagem para Argentina para celebrar o dia dela. O plano inicialmente era chegar em Buenos Aires dia 7 de noite, dormir lá, passar o dia na cidade dia 8 e partir no fim da tarde para Lobos, uma cidade a 100kms de lá, e passar o fim de semana na fazenda de um amigo de Mamy. PORÉM, tudo mudou hahaha
 
Chegamos a Buenos Aires e uma tempestade havia caído na região de Lobos, não só bloqueando o acesso e a estrada de terra, como deixando a casa sem luz, telefone, sem podermos usar cozinha e etc. Fuéééén! Mas, como se trata de uma cidade tão cheia de possibilidades, beleza e cultura, ninguém ficou tão arrasado assim 🙂
 
Eu havia comprado o livro “Buenos Aires com Crianças – Aventurinhas na terra do Dulce de Leche”, da jornalista Fernanda Paraguassu na semana anterior à viagem para programar o que fazer na cidade nesse que seria o único por lá. Era uma dúvida danada decidir apenas algumas coisas e acabamos por usar bem mais o livro, que é ÓTIMO!
 
A Cidade
Eu já tinha ido algumas vezes, com minha mãe, sozinha, com meu marido. Já havia feito viagem romântica, desbravadora, visto o tango, ido às feirinhas, ao Boca… Mas ir com criança me fez ver o quanto a cidade é receptiva com eles. Antes de ir, já havia lido no livro acima: “Em Buenos Aires são bem vindas. Há inúmeros espaços dedicados a elas, ainda que simples, porém acolhedores e cheios de boa informação.” Chegando lá, constatei isso em todos os cantos: fosse em um restaurante onde não havia brinquedoteca ou papel para pintar, fosse em um taxi ou na rua mesmo, os portenhos eram carinhosos e receptivos com a Laura, cheios de sorrisos e brincadeiras.
 
O Hotel
Escolhi na booking.com mesmo. Achei um hotel delicioso e bem localizado e com preço bem razoável por estar onde está: cerca de 80 dólares. Chama-se Esplendor Plaza Francia  e fica na Recoleta, em um quarteirão entre a enorme Av. del Libertador e Calle Posadas (rua delícia que tem desde restaurantes, cafés, até o shopping Patio Bulrich). Fica também a poucos metros da praça principal da Recoleta, onde estão o Cemitério da Recoleta, a igreja Nossa Senhora do Pilar, dois shoppings, cafés deliciosos (amo o La Biela) e muito mais.
 
Laura e vovó na saída da Igreja Nossa Senhora de Pilar, na Recoleta.

Laura e vovó na saída da Igreja Nossa Senhora de Pilar, na Recoleta.

 
Dia 1: Zoológico, almoço e passeios
 
20140808_110500_red
 
Começamos nosso dia indo direto ao Jardín Zoológico de Palermo, um dos únicos ainda no centro de uma grande cidade. Ele foi inaugurado no final do século 19 e está localizado em 18 hectares, no coração da cidade, perto dos Bosques de Palermo, com 350 espécies de aves, mamíferos e répteis mais de 3 mil animais. Custou 120 pesos (cerca de R$ 30,00) por pessoa, mas crianças abaixo de 12 anos não pagam.
 
Os bichos ficam relativamente e e soltos em lugares que remetem à sua natureza, sua espécie. Laura PIROU com tudo, mas, principalmente do quão perto ficou das girafas e elefantes e do quanto correu com as lebres, que se aproximavam sem medo. Você pode comprar comida especial para os animais e alimentá-los.
 
Laura batendo um papão com uma das muitas lebres soltas pelo Zôo <3

Laura batendo um papão com uma das muitas lebres soltas pelo Zôo <3

<3

<3

IMG_0868_red

 

Por falar em pirar, já falei aqui da paixão da Laura por carrosséis, né? Pois bem, no zoológico há dois deles, ambos de 2 andares. IMAGINE quantas voltas demos? Hahaha Pertinho de um deles estão as girafas e pertinho do outro está um parquinho bem gostoso. Dá para sentar um pouquinho enquanto as crianças se divertem 🙂
 
Como ama um Carrossel!

Como ama um Carrossel!

Ambos os carrosséis do Zôo tem dois andares :)

Ambos os carrosséis do Zôo tem dois andares 🙂

E depois se jogou no parquinho do Zôo.

E depois se jogou no parquinho do Zôo.

Na saída pegamos uma das várias charretes (lá se chama “mateos”) e passeamos pela área que abrange os Bosques de Palermo. Descemos em um ponto próximo à táxi e fomos almoçar. 
 
Tentamos almoçar no Morena que nos foi super recomendado e onde a vista parecia ser linda (fica na Costanera, próxima ao aeroparque), mas ao chegar soubemos que só abre para almoço aos domingos (era 6ª feira). Fuéééén  de novo hahaha Fomos então a Puerto Madero, que amooooo, para almoçar no La Cabaña. Melhor morcilla da minha vida, panqueca de doce de leite, parabéns pra vovó Fafá e muito espaço para correr depois hahaha Em Puerto Madero há muitas opções de restaurantes e o passeio ali é super gostoso. Aproveite para fazer a digestão caminhando 🙂
 
Voltamos para descansar um pouco no hotel, onde Laura assistiu um pouco dos seus desenhos preferidos, mas em espanhol, pelo Disney Jr. argentino. “Dotora Juguetes” ao invés de Doutora Brinquedos e por aí vai hahaha
 
De noite saímos para andar pela Calle Posadas e fomos ao El San Juanino comer as famosas (e maravilhosas) empanadas argentinas. No menu, algumas opções de massa e Laura se jogou no macarrãozinho ao molho de tomate. Nham!
 
Dia 2: Recoleta e bastante Parques Palermo
As enormes árvores da cidade, pelas ruas da Recoleta.

As enormes árvores da cidade, pelas ruas da Recoleta.

Após o café delícia do hotel, saímos para passear pela Recoleta. Suas árvores gigantescas, a feirinha na praça, a igreja para agradecer o aniversário de Mamy, a vida, a família. Fomos passeando pelo bairro, paramos para um café no Recoleta Mall e seguimos para a Plaza Emilio Mitre, onde há um parquinho gostoso e mais um carrossel – dessa vez mais simples, mas onde Laura se jogou igualmente feliz.
 
Vale um parênteses aqui: os carrosséis e os parquinhos. Você encontra muitas praças e parques em Buenos Aires e, em algumas delas, os carrosséis – ou Calesitas, como eles chamam. 30 deles foram declarados patrimônio da cidade em 2008. Além de super bem conservados, o legal dos parquinhos nas praças é que eles têm grades em volta e não permitem a entrada de cachorros, então dá para ficar ainda mais tranquilo quanto à criança brincar solta e sozinha nos brinquedos.
UPDATE para esclarecimento: Buenos Aires é um dos lugares mais repletos de cachorros que vi na vida. Coisa linda de se ver a quantidade deles <3 Porém, muitas vezes estão  soltos. Quando eu digo que é bom o fato de eles não entrarem nos parquinhos é por conta de higiene e segurança das crianças. Nas praças onde os parquinhos estão, eles correm livremente, apenas na área dos brinquedos é que há a cerca para a criança não sumir correndo e para que os cães não entrem. O piso é daqueles mais fofinhos e o xixi do cachorro, tanto no piso quanto nos brinquedos, não seria legal para as crianças. Assim como no Brasil, não são todos os donos que recolhem o cocô e muitas vezes tínhamos que desviar nas calçadas. Ou seja, poderia ter cocô deles ali onde as crianças caem, correm, colocam a mão. Fora isso, assim como com humanos, não é em todo e qualquer animal que podemos confiar. Uma brincadeira de criança, uma sapequice, pode fazer o cãozinho pular de alegria e derrubá-las – ou até um cão mais bravo. Certo? 🙂
 
Os parquinhos cercados, seguros e bem cuidados de Buenos Aires. Esse, na Plaza Emilio Mitre e Laurinha descendo pelo escorregador, após 300 voltas no carrossel de lá.

Os parquinhos cercados, seguros e bem cuidados de Buenos Aires. Esse, na Plaza Emilio Mitre e Laurinha descendo pelo escorregador, após 300 voltas no carrossel de lá.

De lá seguimos para o Parque Tres Febrero (ou Bosques de Palermo), onde a Laura correu, brincou e viu muita gente tomando sol, caminhando, andando de bicicleta e patins (aliás, MUITOS de patins). Entramos pelo Rosedal, mas, como estamos no inverno, estava todo seco. Em outras épocas do ano há mais de 12mil rosas lindas e abertas deixando o parque ainda mais lindo. Passeamos pelo Rosedal, pelo parque, atravessamos a linda ponte de madeira (construída em 1914) e alugamos um pedalinho para passear pelo lago.
 
Laura livre, leve e solta correndo pelo Parque Três de Febrero, rumo ao Rosedal.

Laura livre, leve e solta correndo pelo Parque Três de Febrero, rumo ao Rosedal.

Curtindo um pedalinho para 4 pessoas ( nós na parte traseira e papai e vovó pedalando horrores hahaha)

Curtindo um pedalinho para 4 pessoas ( nós na parte traseira e papai e vovó pedalando horrores hahaha)

A fome bateu e fomos para uma parrillada (churrasco a moda argentina) incrível, no El Primo  (Palermo). Embora a parrilla seja o prato mais famoso e pedido, experimente as lulas empanadas de entrada que são maravilhosas. Esse lugar de noite BOMBA de gente, os jovens amam, mas no almoço é mais sossegado.
 
Mamy foi às compras e nós? Voltamos pro Parque hahahaha Afinal, lá tem carrossel (esse construído no século 18 e também de 2 andares) e mais coisas gostosas. Alugamos uma bicicleta tamanho família e Laura foi toda feliz na frente enquanto eu e o pai pedalávamos 🙂
 
A bicicleta-família <3

A bicicleta-família <3

Selfie vesga do passeio na bicicleta-família <3

Selfie vesga do passeio na bicicleta-família hahaha <3

E dá-lhe carrossel hahaha esse, construído no século 18.

E dá-lhe carrossel hahaha esse, construído no século 18.

No caminho para o hotel passamos no supermercado para comprar suco, no El SanJuanino para encomendar o macarrão que a Laura amou e no Shopping Patio Bulrich para comprar queijinhos, frios e vinho na Valenti  (além de tomar um delicioso sorvete de doce de leite). Acabamos por apenas fazer um lachinho no hotel ao invés de sair naquela friaca hahaha
 
Para o post não ficar muito longo (até porque AMO um foto, né? ahaha), dividi em 2 posts.
Até próximo, queridos!!
 

Comente!

  • Nina

    Isso! Perfeito! Clap!clap! Clap! 2014 e ainda temos mães que levam os filhos ao zoológico ou ao Sea World com a desculpa que os filhos AMAM os animais. Será que amam mesmo? E seus pais amam os animais? Então por que será que o fato de parquinhos não permitirem a entrada de cachorros sejam um ponto positivo, um atrativo aí em Buenos Aires?

    • Mamãe de 1a Viagem

      Oi! Tudo bem?
      Obrigada pela ironia! Vamos lá:
      – Laura ama mesmo os bichos e não há outro lugar onde ela possa alimentá-los e aprender sobre eles de maneira tão próxima quanto um zoológico. Fomos atrás dos projetos que o Zoológico faz em prol deles. Não vimos qualquer sinal de maus tratos ou coisa parecida.
      – Buenos Aires é uma cidade REPLETA de cachorros e brincamos com vários deles. Nas praças há vaaaarios. O que eu disse sobre ser positivo a cerca nos parquinhos nas praças é que as crianças ficam mais seguras, já que não dá para confiar em todo e qualquer animal. Fora que os portenhos não catam muito cocô de cachorro nas ruas e o parquinho ter acesso restrito aos cãeszinhos o torna mais higiênico, com menos risco da Laura cair em um ao brincar solta e correndo. Só isso.
      Temos cachorro e sempre ajudamos inúmeras instituições em.prol dos animais. Nem preciso perder meu tempo te falando quem procurar sobre a veracidade disso pois minha consciência é bem tranquila 🙂
      Você poderia ter escrito tudo isso de maneira menos irônica e agressiva e eu te responderia da mesma forma. Que pena que você prefere atacar e julgar.
      Bjos, fica com Deus

  • Carolina Gava

    Adorei o post! Fui a Buenos Aires com o marido, mas não imaginava que poderia ser tão legal para crianças! Vamos nos planejar para levar a nossa de 5 anos! Beijos Mariana!

    • Mamãe de 1a Viagem

      Oi querida! Tudo bem?
      Eu também só havia ido de forma romântica (hahaha) ou sozinha. Foi demais ir com a pequena.
      No próximo post escrevo mais dicas, de coisas que não deram tempo de fazermos 🙂
      Beijokas!

      • dani

        só queria dizer que simplesmente amo seus post, que as criticas não te faça parar.O mamãe de primeira viagem foi meu apoio, foi uma amiga que reparte as coisas boas, que me ensinou muito desde a gestação até hj…

        Parabéns pelo trabalho Mari

        *caiu um cisco no meu olho…rs

  • Le Boikivski

    Parabéns, Mari vc é mto evoluída mesmo por responder a um comentário sem noção como aquele. Adoro como vc é grata pela vida, família e muito pé no chão. Continue assim 🙂

  • Le Boikivski

    Tô adorando, aqui anotando as dicas e vendo como é importante planejar cada detalhe qdo se viaja com crianças <3

  • Thais Osório

    Meu Deus como tem gente grosseira e sem noção! Parece até que vc é uma criminosa por levar sua filha a um zoológico! Liga não, eu sou bióloga e apesar de saber que lá não é lugar de bicho, os parques continuam existindo e qual o mal então de levar nossos filhos pra terem a chance de ver animais de perto e incentivar o amor por eles? Faz bem em não cair na pilha e xingar, mas que dá vontade dá!bjo