Em busca da escola ideal :)

)Foto: © Justin Paget/Corbis)

(Foto: © Justin Paget/Corbis)

Laura tem apenas um ano e dois meses, mas nossa busca pela escola começou há muitos meses.

Fomos à diversas escolas, conhecemos o trabalho pedagógico, as propostas, o método de ensino,  conversamos com a diretora de cada uma, vimos a estrutura… Vimos coisas que não concordamos, mudamos de idéia em relação à escolas que eram “certas” no rumo da escolha, nos apaixonamos por outras escolas e conversamos com muitos pais.

No meio dessa busca, resolvemos mudar de casa, para um bairro mais distante do que moramos agora, só que bem mais perto da minha sogra, cunhada e mãe. Com isso, nosso foco de busca mudou. Para nós, sempre foi claro que, em uma cidade como São Paulo, a escola da Laura deveria ser próxima de casa. Na 3a parte da entrevista com a linda da Chris Flores para a nossa TV “De Mãe Para Mãe”, falamos muito sobre a escolha da escola e falamos, inclusive, sobre existir casos até de crianças que ficam mais agressivas por conta do estresse de ficarem muito tempo presos na cadeirinha, no trânsito.

Definida a região, fomos em busca de outros aspectos que, para nós era essencial. O método pedagógico e objetivo do colégio deveriam estar totalmente de acordo com o perfil, estilo de vida e valores da nossa família. Não adianta colocar seu filho em uma escola com muitas regras e que treina o aluno para ser altamente competitivo, por exemplo, se em casa a família pensa e age de forma liberal. Ele vai ficar extremamente confuso e não dará continuidade nem ao que aprende na escola, nem ao que aprende em casa, muito menos às duas coisas distintas. Os valores passados era um dos pontos mais importantes para nós, já que a Laura é apenas um bebê e, nesse momento, a parte de lição de casa, método de ensino e etc ainda não é o foco.

A escola escolhida fica no mesmo quarteirão em que vamos morar (não, ainda não mudamos SOCORRO hahaha), levo e busco a pequena a pé. Antes de matriculá-la, fomos visitar a escola 3 vezes e observamos como as professoras agem com as crianças, vimos as crianças utilizando a estrutura da escola de forma segura e assistidas pelas responsáveis e observamos que a mesma foge do elitismo, dando uma realidade de sociedade no convívio escolar. Além de tudo isso, uma das coisas que mais pesou a favor foi que a escola é associada a Unesco (agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU) para a educação, a ciência e cultura) e portanto tem como pilares principais valores como paz e cidadania

No post anterior, contei sobre a adaptação da pequena na escola. Hoje, vejo minha filha sorrir e se atirar nos braços das professoras dela. Vejo o brilho nos olhos dela ao chegar na escola. Isso me dá a certeza que ela está feliz. Antes eu havia pensado em mudá-la de escola ano que vem, para que frequentasse a mesma que os primos – que ela tanto ama – frequentam (e que também é pertinho da casa nova), mas agora já não sei se quero tirá-la de lá ou se quero ter que adaptá-la à mais uma mudança. A escola dos primos só pode começar quando se está andando e Laura so está chegando nesse estágio agora, o que me impediu de colocá-la lá de cara. Ambas as escolas vão até os 6 anos de idade, ou seja, uma adaptação ela já terá que fazer ao longo da vida escolar. Mas… Um dia após o outro, né? O primeiro passo já foi dado e estou feliz com ele. O sorriso dela, o desenvolvimento estampado no dia a dia… Nesse momento é o que me deixa tranquila e satisfeita. E o amanhã à Deus pertence :)

A colunista da Pais & Filhos, Julia Barroso, deu algumas dicas bacanas quanto à essa escolha tão importante:

  •  Tenha em mente que o ambiente que seu filho vai frequentar na escola, inclusive na relação com os colegas de estudo, tem que estar de acordo com a realidade financeira da família. Imagina todos os amigos fazendo 2 a 3 viagens internacionais por ano, as maiores festas de aniversários, todos morando em mansões e o seu filho, no fim, se sentindo inferiorizado e diminuído, porque tem uma vida diferente. A realidade da nossa sociedade é dura. Haja psicologia em casa para desfazer isso depois.
  • Na Educação Infantil ou creche, procure observar a expressão das crianças que estão lá na hora da sua visita, observe a limpeza, as refeições, a segurança no acesso a escola. E o mais importante, procure saber o nível das educadoras, são elas que estarão em contato direto com os bebês, muitas vezes, mais tempo até do que os próprios pais que trabalham o dia todo.
  • Proporcione aos filhos o melhor ambiente possível para a faixa etária em questão.
  • Tenha muito claro o que você espera da escola para não se decepcionar depois e fazer com que seu filho fique pulando de galho em galho.
  • Agora o principal e mais fundamental. Pergunte ao seu filho se está feliz onde estuda! Se ele for ainda pequeno e não souber falar, observe no dia a dia e nos pequenos detalhes. Eles sempre dão um jeitinho de se comunicar com a gente, é só ficar atento!

Beijokas!!