#EspecialOrlando – Nossas férias, Parte 8 – Sea World, dicas, tempestade e fuééén nos planos

IMG_20140502_110548_red
 
Planejamos passar esse dia no Sea World. Laura ama animais e marcamos, inclusive, um passeio chamado Dolphin Up Close Tour,  que constitui-se em um tour de bastidor com especialistas em golfinhos. Na ocasião, nós ficaríamos bem próximo dos animais e conheceríamos um pouco mais sobre eles e dos cuidados que o Sea World tem com eles, desde que nascem.
 
Antes de mais nada: não, eu não vi Black Fish, o documentário que só soube da existência quando estava dentro do parque, correndo da tempestade e sendo criticada por estar ali. Pretendo assistir para ter uma opinião sobre, mas, muitas pessoas em Orlando comentaram comigo que ex funcionários do parque fizeram parte desse documentário por terem sido demitidos, como uma espécie de vingança. Que há muitas mentiras ali, inclusive desmentidas em http://seaworld.com/en/truth/truth-about-blackfish/. E isso não me foi dito por pessoas ligadas ao parque, que tem 50 anos de tradição. Acredito que, para sermos justos e parciais, precisamos ouvir/conhecer os dois lados da história.
Mapa do parque

Mapa do parque

 
Dito isso, vamos lá: chegamos ao parque e tínhamos esse passeio às 13hs, então nos programamos para fazer as coisas que Laura iria gostar para estarmos de volta ao ponto de encontro à essa hora, com toda família. Passamos então no Berçário de Golfinhos (Dolphin Nursery) onde a moça nos contava tudo sobre os cuidados com os bebês golfinhos e traduzíamos para a Laurinha. Sim, sou aloka dos golfinhos, choro só de estar perto.
Berçário dos golfinhos, com veterinários e biólogos esclarecendo dúvidas e explicando os cuidados com os bebês. NHOIN <3

Berçário dos golfinhos, com veterinários e biólogos esclarecendo dúvidas e explicando os cuidados com os bebês. NHOIN <3

 
Seguimos para o show das focas (com uma mega morsa no final) chamado Clyde and Seamore take Pirate Island. É muito fofo e as focas arrasam. É lindo ver o carinho dos treinadores e o apego delas com eles.
Laurinha com o papai, antes de entrar no show das focas <3

Laurinha com o papai, antes de entrar no show das focas <3

E dando muito beijo da tia Maxinha amada, madrinha do papai <3

E dando muito beijo da tia Maxinha amada, madrinha do papai <3

 
Pegamos o mapa e nos programamos baseados nos horários dos shows. O plano ERA: iríamos ao longo do dia nos outros shows: Blue Horizons (com golfinhos, pássaros e acrobatas), One Ocean (com as baleias) e até, se a Laura desse conta do cansaço, o show noturno da Shamu, o Shamu’s Celebration – Light Up the Night. Além disso, iríamos levar a Laura no playground delicioso e cheio de atividades para os pequeninos Shamu’s Happy Harbor (clicando aqui você vê todas as atividades, como mini montanha russa, carrossel, rede para escalar…) e depois no Antarctica Empire of the Penguin, ver os pinguins em um ambiente gelado e lindo.
Carrossel no Shamu's Happy Harbour (foto do site)

Carrossel no Shamu’s Happy Harbour (foto do site – o céu no meu dia estava longe de estar azul assim 🙁

Antarctica

Antarctica Empire of the Penguin (foto do site) – maior fila do parque, por ser a atração mais nova

 
Além disso tudo, quando a Laura dormisse, eu estava LOUCA para repetir o que fiz em Julho, quando fui à trabalho: me jogar na Manta, montanha russa maravilhosa que eu amei, e também me jogar na Kraken e no Journey to Atlantis (o Splash deles), que não consegui ir em julho… Porém…

Feliz na Manta... em julho do ano passado. fuééén

Feliz na Manta… em julho do ano passado. fuééén

 
Porém… CAIU O MUNDO em tempestade. Estávamos saindo do show das focas quando, do nada, desabou a maior chuva que vi nos últimos tempos. Resultado: corremos. Entramos na primeira porta que conseguimos e foi ótimo porque era o Shark Encounter, um aquário gigante onde você vê tubarões e muitos tipos de peixes, arraias e etc passando por um túnel incrível. Laura PIROU e até hoje quando vê qualquer imagem na tv mostrando o fundo do mar, diz: “eu fui no fundo do mar!”
Laurinha e Tia Maxinha no Shark Encounter. A luz estava horrenda para foto, então abaixo coloquei uma do site que traduz melhor hahaha

Laurinha e Tia Maxinha no Shark Encounter. A luz estava horrenda para foto, então abaixo coloquei uma do site que traduz melhor hahaha

(foto do site)

(foto do site)

 
Quando saímos de lá, corremos para uma loja onde esperamos a chuva diminuir um pouco, para podermos pegar o carrinho da Laura que havia ficado no “estacionamento de carrinhos” (stroller parking) na entrada do show das focas. Estava IMPRESTÁVEL hahaha Fez piscina no assento, encharcou tudo. Fomos embora arrasados por não termos curtido quase nada do parque.
eike felicidade, só que não

eike felicidade na loja, só que não

Almoçamos novamente no Orlando Ale, eu, Cris, Laura e Ma (madrinha do Cris, amor sem fim da Laurinha). O menu kids de lá, assim como dos outros restaurantes que fomos, vem em um livrinho divertido de atividades, tem opções saudáveis e é MUITO barato. O restante da família foi comer comida brasileira no Gilson’s. Aliás, para quem sente falta de comida brasileira, tanto o Gilson’s quanto o Camilla’s são opções maravilhosas. Minha família foi em ambos e inclusive levavam porção extra de feijão para o condomínio, para as crianças jantarem  J A feijoada e a caipirinha são excelentes, em ambos os restaurantes.

Menu kids do Orlando Ale House: muito amor.

Menu kids do Orlando Ale House: muito amor. Sim, U$ 4.49 qualquer prato desses.

E por falar em condomínio, nesse dia de muita chuva, mais uma prova que acertamos na escolha de alugar casa no Lucaya: brinquedoteca na casa sede, DVD na sala (Frozen várias vezes, com Let it Go mais vezes ainda, enquanto arrumávamos as malas hahaha), casa mais espaçosa que quarto de hotel para a criança ter mais espaço em dia de chuva mala. Repito: se joguem nas casas alugadas, o Marcio da Fidelity cuida desse condomínio e de outros bacanas. Falem com ele no marcio@fidelithvh.com

Espaço da casa, dvd, pintando e comendo comidinha caseira. Casa: melhor opção para nós.

Espaço da casa, dvd, pintando e comendo comidinha caseira. Casa: melhor opção para nós.

Arrumar malas… Eu chorei. Sério. Chorei. A liberdade, a segurança, a magia… O olhar da minha filha vendo as princesas, a turma do Mickey, dançando pelos parques, curtindo mais do que imaginei. Ir ao supermercado e esquecer a porta do carro destrancada, mas não entrar em pânico por isso. Gastar bem menos comendo, no supermercado, em loja… Pagar menos impostos e ver o retorno desses menos impostos na cidade toda, assim como no país todo: limpo, seguro, pessoas educadas e hospitais bons. Dá uma angústia a volta à realidade, mas faz com que esses dias mágicos tenham mais e mais significado. Não vejo a hora de ir novamente, Laura maior fazendo outras coisas, entrando em mais brinquedos… Mais momentos mágicos que ela seguirá repetindo e contando como conta TODOS OS DIAS para nós e para todos. Foi lindo, foi especial.
 
E não pensem que acabou! O #EspecialOrlando terá mais um post com as coisas que AINDA não fizemos, mas planejamos fazer em uma próxima oportunidade. Legoland, mais uma vez pelo olhar incrível da minha querida Tina, da Viagen’s World e outras alterações na programação!
 
Para ver todos os outros SETE posts do #EspecialOrlando, clique aqui.
 
Beijokas!

Comente!