Fisioterapia gestacional, respiração, conhecer meu corpo: minha busca pelo parto normal.

Força nesse períneo!

Força nesse períneo!

Como contei aqui há algumas semanas, eu sempre desejei que a Laura nascesse de parto normal, porém caí no conto da cesárea desnecessária (no Reveillon) e estou tendo uma segunda gestação e oportunidade para realizar esse desejo.

Como a Laura já terá 4 anos na altura do nascimento da Julia e eu não fiz nenhuma outra intervenção cirúrgica no útero além do 1º parto, é possível sim. Mas eu fui em busca do máximo de informação e ajuda que eu podia encontrar. Se alguma coisa acontecer, algum risco na hora do parto, e houver REAL necessidade de outra cesárea, pelo menos eu saberei que fiz tudo que podia e terei conhecimento para argumentar com minha obstetra. Cada consulta com são muitas perguntas, falo sobre relatos de amigas que tiveram normal, natural, em casa, enfim: tiro todas as minhas dúvidas. Admiro demais minhas amigas que tiveram em casa como a doce blogueira Analu (que me emocionou DEMAIS com o trailer do parto dela em casa: assista aqui), mas sei que é além dos meus limites. Meu objetivo é conhecer meu corpo e trabalha-lo para um parto normal, no hospital, com toda estrutura que deixa tranquila não só a mim, como meu marido, mãe, sogra…

Em um evento da Tip Top há alguns anos eu conheci a fisioterapeuta Mariana Mazzei, que nos deu aula de Shantala e falou sobre seu trabalho com as mulheres tentantes, em pré-parto, em pós parto e os benefícios dessa massagem tão deliciosa para os bebês. Lembro dela ter falado sobre a fisioterapia gestacional e como ela era importante para saber conhecer seu corpo, sentir o períneo, fazer respirações… Quando engravidei da Julia e entendi com minha obstetra que era possível sim um parto normal, procurei a Mari e sua Mother Fit para entender meu corpo. Passada as 12 primeiras semanas, comecei minhas aulas <3

O diferencial do Mother Fit está na ampla capacitação técnica profissional, o que permite associação de diversas técnicas e o torna um tratamento completo e específico para cada mulher. Especialmente desenvolvido para mulheres, gestantes e puérperas, a Mari utiliza de diversas técnicas da fisioterapia obstétrica, Pilates Funcional, alongamentos, exercícios respiratórios, exercícios de preparação corporal e períneo para um ganho expressivo de saúde e bem-estar. Eles seguem as Instruções de Segurança para os exercícios destinados à gestação e o período pós-parto do American College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG).

Respira!

Respira!

 

Mari Maffei, essa linda <3 OBRIGADA!!

Mari Maffei, essa linda

Todo esse trabalho traz benefícios para mulheres que pretendem ficar grávidas nos próximos meses ou para as que já se encontram nesta condição. Tem foco na prevenção de sintomas do assoalho pélvico como incontinência urinária (também favorece o parto vaginal), prevenção de dores na coluna, desconfortos vasculares e melhorar a qualidade de vida. Além disso, o Mother Fit junta informação teórica e vivência corporal para que a mulher entenda as modificações que ocorrem em seu corpo durante a gestação e o parto, e descubra como lidar de forma positiva auxiliando ativamente este processo.

No segundo trimestre a gestante encontra-se mais disposta: é hora de aproveitar para trabalhar a manutenção de força muscular do corpo como um todo, focando bastante nos músculos posturais e assoalho pélvico.  Ao longo das sessões fomos conversando sobre aspectos da gestação: parto, pós parto, maternidade, assim como refletir sobre o Plano de Parto.

No terceiro trimestre os hormônios e o corpo com maior volume deixam a mulher mais sonolenta novamente, então será minha hora de “preparar o ninho”, com exercícios mais introspectivos, respiratórios, alongamentos e soltura de pontos de tensão. As conversas se mantém sobre diversos assuntos e o plano de parto é preenchido.

Sobre o trabalho de parto é importante o casal conhecer como o corpo da mulher funciona, e o que acontece fisiologicamente durante todo o processo, para assim estarem mais seguros e informados. Por isso, um pouco mais para frente, meu marido vai me acompanhar na aula e conversar com a Mari sobre o que fazer para me ajudar, sobre o que ele verá em mim, até para que ele não se assuste ou não ache que tem algo errado, não se preocupe sem necessidade.

Quando não conhecemos algo, sentimos medo, e o medo gera tensão e tensão gera dor! Quanto mais segura, informada e preparada, menos dor a mulher sentirá e, com certeza, conseguirá aproveitar melhor cada momento. Está sendo essa a minha busca e sei que ter essa assistência da Mari ao longo da minha gestação terá sido essencial.

Essa semana, com 26 semanas de gestação (6 meses completos) <3

Essa semana, com 26 semanas de gestação (6 meses completos) <3

Para conhecer mais sobre o  trabalho da Mother Fit em tentantes, gestantes e puérperas, acesse  http://www.motherfit.com.br/ , seu blog delícia http://www.motherfitbrasil.blogspot.com.br/ e siga a lindoca no @MotherFit, no instagram.

Sobre meu sonho pelo Parto Normal

Eu quero deixar bem claro que, ao falar sobre minha busca pelo Parto Normal, eu JAMAIS estou julgando que tenha tido ou queria ter cesárea por qualquer razão que seja (necessidade, medo da dor, crença, limites, sei lá). NADA nesse mundo me prova e me convence que a Laura seria uma menina mais amável, mais doce, mais inteligente ou mais feliz se tivesse nascido de outra forma. Eu quero passar pela experiência por uma vontade minha. Vontade essa, que respeita os MEUS limites e respeita as condições de saúde e parto da Julia. Em breve postarei sobre isso, mas que fique claro: é um sonho meu, não é ditação de regra e muito menos apontar dedos. Se houver QUALQUER risco na hora do parto, eu não pensarei duas vezes em recorrer à cesárea de novo – porém somente se ela for REALMENTE necessária. Mulheres queridas, mães: apoiem-se, abracem-se. Ninguém está na pele do outro e tem suas vivências para determinar o que é certo ou não PARA O OUTRO.

Beijokas!!

Comente!