Higiene Bucal: usar ou não flúor? O que é fluorose infantil?

Uso flúor ou não com meu bebê?

Já contei aqui no blog que o nascimento de dentes da Julia teve seus perrengues e fez a pequena regredir na alimentação. Era tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo na boca dela, que adiei escovação e toda questão atual do flúor.

Quando a alimentação regularizou começamos a escovação aqui, mas foi uma luta. Julia, que nunca curtiu que mexêssemos na boca dela, trancava a boca e ficava irritada. Ao dividir isso no instagram mostrando os produtos que eu tinha aqui em casa e citando o cuidado com a ingestão de flúor, houve um pouco de polêmica – e eu acabei aprendendo muito.

O uso do flúor não se generaliza.

Meu erro ao escrever o post no instagram foi generalizar que deve-se ter atenção com a ingestão de flúor e portanto não é aconselhável usar muito cedo. Algumas odontopediatras, mães e outras profissionais me corrigiram com delicadeza e carinho (e uma foi gratuitamente agressiva) e entendi que 4 anos depois da Laura, as coisas haviam mudado. Na mesma hora, corrigi a legenda.

Como todo post meu que cite algo de saúde tem respaldo e embasamento de profissionais (por favor, leiam meu esclarecimento pessoal ao final desse post), postei na sequência uma foto das instruções que a odontopediatra da Laura, Dra. Isaura Buelau, me deu.

Laura teve consulta ontem e entendi ainda mais. A questão não são só as mudanças em 4 anos, mas o tipo de acompanhamento que a criança tem, que cada criança é uma criança (falo isso SEMPRE aqui no blog) e que cada profissional tem sua linha de trabalho.

Laura toda feliz e banguela com a maravilhosa Dra. Isaura Buelau.

Se a criança é atendida cada vez por um profissional, como no sistema público, por exemplo, e não tem um acompanhamento personalizado, realmente a indicação é que escove com flúor pois os profissionais “preferem” que a criança tenha que tratar de uma fluorese à tratar de cáries. A única coisa que indicam é a pequena quantidade de pasta e isso é fácil orientar (no caso a quantidade é um grão de arroz cru).

Já em um acompanhamento mais direcionado e constante, com o mesmo profissional (como é o caso das minhas filhas), alguns odontopediatras preferem começar com pasta sem flúor e, ao longo das consultas, introduzir a pasta com flúor quando AQUELA CRIANÇA já estiver no tempo.

A indicação aqui foi continuar sem flúor tanto em casa, quanto na escola e isso pode mudar na próxima consulta. Mas, por exemplo, amigos meus que fazem trabalho voluntário em creches públicas, abrigos e outros locais com crianças que não tem atendimento sempre do mesmo profissional, orientam a escovação com flúor.

Ou seja, mais do que nunca, CADA CASO É UM CASO. Apenas o odontopediatra do seu filho pode orientar de maneira correta como fazer agora e no futuro.

Fluorose: o que é e como tratar.

A fluorose é uma complicação que ocorre pela ingestão excessiva ou prolongada de flúor durante o período de formação dos primeiros dentes, isso quer dizer, desde o nascimento da criança até os cinco anos de idade.

O flúor está na água que bebemos, que lava alimentos, que é usada para cozinhar e também em outros momentos da vida da criança, por isso se fala tanto em controlar a que a criança ingere na pasta de dente (afinal, eles engolem a pasta nos primeiros anos, só aprendem a cuspir um pouco maiores).

“As manchas variam de esbranquiçadas a amarronzadas dependendo do grau de severidade, ocorrendo geralmente de forma simétrica na dentição”, explica a odontopediatra Simone Rocha.

Muitos fatores acabam contribuindo para o aparecimento da fluorose, como a própria água que bebemos. Simone alerta que o abastecimento de muitas cidades contém flúor em sua composição. Isso contribui para a diminuição de cárie da população, mas ao mesmo tempo pode tornar um risco. (fonte: Site Sorrisologia)

A fluorose não desaparece quando as crianças crescem, muito pelo contrário. “Vai acometer principalmente a dentição permanente e por ser um distúrbio de desenvolvimento dentário, ou seja, ele ocorre na formação da estrutura dentária, as manchas não desaparecerão com o tempo”, atenta Simone.

(Não quis postar foto de fluorose grave aqui no blog pois tem gente que não curte ver, mas é só clicar nesse link)

Tratamento.

Sai fora, sujeira! hahaha

A melhor forma de evitar este e qualquer problema bucal continua sendo a prevenção. Mas, se a fluorose dentária acontecer, atualmente técnicas modernas de tratamento têm oferecido considerável conforto estético e emocional aos pacientes. Segue alguns tratamentos, via site Medo de Dentista.

Esclarecimento pessoal

Quem me acompanha nas redes sociais e no blog sabem que eu dou dicas e divido coisas que funcionam comigo, com minhas filhas, mas que JAMAIS eu ditei como O CERTO, nunca ditei regras.

Sempre friso que é preciso falar com o profissional que atende o seu filho e que tem o histórico dele. “Cada criança é uma criança” e “Cada criança tem seu tempo” devem ser as frases que mais uso aqui e nas redes.

Vocês não imaginam as perguntas e dúvidas que recebo por email e eu sempre respondi que a pessoa consulte um especialista. Desde que esse blog se tornou independente da Veja, eu tenho na parte de contato do blog uma frase frisando que sou apenas uma mãe compartilhando que não tiro dúvidas médicas. É só olhar em http://mamaedeprimeiraviagem.com/contato/

TODO E QUALQUER conteúdo médico (doenças, tratamentos, relatos) sobre os quais eu escrevo tem embasamento médico e vieram diretamente de um profissional. Não sou médica ou especialista em nada. Tenho uma responsabilidade enorme aqui e prezo muito por ela.

Errar eu erro como qualquer pessoa. E muitas vezes é pela maneira com a qual me expresso. E quando me corrigem, EU AGRADEÇO e corrijo a informação, SEMPRE reconhecendo o erro. Por favor, me corrijam. Eu amo aprender e amo o diálogo <3

Beijos!

Comente!

  • Cristinna Ribeiro

    Postagem muito esclarecedora! Parabéns, Mariana! É muito importante focar nos dentinhos dos filhotes nessa fase de dependência. Ao mesmo tempo, devemos conscientizá-los para que cuidem bem deles, por si mesmos, quando crescerem. Eu era tão neurótica nesse aspecto com minha filha que, mesmo na fase bebê, escovava diariamente seus dentinhos com uma escovinha que eu introduzia no dedo. Também não descuidava das idas ao dentista para aplicação do fluor. Bjs. ?????