Nem todo choro do bebê é fome. Calma, conhecer seu bebê leva tempo :)

bebechorando_destaque

Eu tenho duas filhas, uma de 4 anos e outra de 4 meses. Filhas do mesmo pai e da mesma mãe, porém indivíduos diferentes, com personalidades – sim, já – diferentes. Mas eu já sabia como elas seriam assim que nasceram? Não. E na primeira semana? Também não.

Assim como em qualquer relacionamento (com parceiro/a, amigos, colegas de trabalho…), conhecer alguém leva tempo e isso inclui sim os filhos. É preciso calma e tempo para que eles entendam o mundo aqui fora, para que a gente consiga identificar o que eles querem e para que a gente “se conheça”. Claro que há o instinto materno também, mas até para ele se deve tempo.

Um ponto que gostaria de falar nesse texto é a questão do choro. Esse post não é para falar do tema (polêmico, às vezes) Livre Demanda x Rotina, não é isso. Mas, se toda vez que o bebê chorar, você automaticamente colocar ele no peito, algumas coisas podem acontecer: você pode não entender a real necessidade que seu bebê tem naquele momento e acabar não se dando oportunidade para identificar o que ele precisa, a amamentação pode deixar de ser para alimentação e conforto para ser toda e qualquer resposta – e nisso você acaba virando “refém” e o bebê acaba ficando confuso sobre como pode se expressar para outras coisas.

A única maneira que o bebê recém nascido (e por meses) se comunica é chorando. E isso serve para fome, irritação, sono, cocô na fralda, fralda vazada, frio… Meu conselho aqui é que, se fizer menos de 2 horas que o bebê mamou, você vá eliminando as possibilidades:

  • Primeiro cheque a fralda (se há cocô ou se vazou e a roupa ficou molhada);
  • Daí veja se não é incômodo por conta de gases e precisa arrotar (geralmente logo que mama);
  • Se o bebê chutar muito enquanto chora e for antes de 3 meses, pode ser cólica. Bolsinha de água quente (ou de ervas, quentinha), aconchego e algo que o pediatra tenha indicado (Luftal, ColicKids, ColicCalm, etc…);
  • Veja se o bebê está quentinho (possibilidade de febre e portanto mal estar);
  • Se o bebê estiver em uma cadeirinha ou tapetinho de atividade, o choro pode ser um tédio ou cansaço (por estar ali algum tempo lidando com estímulos – por menores que sejam) e só de mudar o bebê de lugar, ele já se acalma;
  • E o último e geralmente MAIS COMUM: irritação por não ter conseguido cochilar sozinho ou estar brigando com o sono. Como nós, adultos, eles se irritam por fome e cansaço e, geralmente – nem que seja por meia hora – cerca de 1 hora e meia, duas horas depois que mama, seu bebê vai querer/precisar cochilar. Nine, acalme ele, vá para rede ou até balance no carrinho (se estiver na rua principalmente) para ajudá-lo a adormecer.
Na maior parte das vezes, é soninho e pura irritação por não conseguir dormir ou estar lutando com o sono.

Na maior parte das vezes, é soninho e pura irritação por não conseguir dormir ou estar lutando com o sono.

Se mesmo com tudo isso, continuar irritado, aí sim alimente seu bebê. “Ah, mas ele vai ficar passando fome???” Se for fome, mesmo fazendo essas “eliminatórias” acima, não vai demorar para você identificar. Então, ele não vai chegar a passar fome, fique tranquila. Com o tempo, você vai aprender a identificar pelo choro, pelo som, pelo jeito que seu bebê vai chorar. Se você sempre colocar direto no peito ou dar a mamadeira no primeiro som que ele fizer, você não estará ajudando nem ele, nem você mesma. Muitas vezes, só de pegar no colo e dar um chamego, o bebê já acalma.

Hoje, depois de 2 meses de muito choro por cólica e gases (coisa que a Laura nunca teve), com 4 meses completos, eu sei que a Julia é um pouco mais “brava” que a Laura. Sei que quando o choro fica agudo, com uns gritinhos, é irritação por sono. Quando o choro fica mais “doído”, eu sei que é fome. Quando eu posiciono para mamar e acabo, sei lá, lembrando de pegar uma fraldinha ou dou um gole de água antes de amamentar, Julia se irrita e grita (hahahaha, vê se tem tamanho pra isso! <3). Hoje eu já entendi e sei que Julia mama de 4 em 4 horas e, da hora que ela acorda eu fico com o horário seguinte (4 horas depois) na cabeça. Quando é fome, geralmente, o chorinho começa uns 10, 15 minutos antes desse horário chegar (no caso aqui, geralmente é assim: 7hs, 11hs, 15hs, 19hs (banho antes), 0:30 (mamada dos sonhos) e 7hs novamente).

Respira <3

Respira <3

Mas isso levou tempo, não foi na primeira semana de vida. Foi um dia após o outro, como em qualquer relacionamento, assim como eu levei tempo para conhecer o jeito e personalidade do meu marido, assim como eu sei como minha melhor amiga está só de olhar para ela, assim como com o tempo (e convivência) às vezes a gente se vê diferente de algum amigo/colega. O bebê vai se expressar e você vai aprendendo a ler o que ele quer dizer. Ao deduzir que sempre é fome, você acaba não “ouvindo/vendo” os sinais.

Esse post é apenas para tentar ajudar e não para dar regras ou julgar. Entendo que nós mães ficamos desesperadas para que nosso bebe não “passe fome” e o mais natural é tentar alimentar o mais rápido possível, mas calma… O choro não significa automaticamente sofrimento, e sim a ÚNICA maneira pela qual o bebê sabe se comunicar. Pegue no colo, dê afeto e vá por eliminação (fralda, temperatura, soninho) até que ele se acalme.

Respire, ouça seu bebê, e “take your time” (algo como “vá no seu tempo”) para conhecê-lo. Você – e seu parceiro/a – saberão mais do que qualquer um o que seu bebê precisa (e isso futuramente pode causar certa irritação em você quando alguém, do nada, vier dizer: “será que não é frio?” “será que não tá com fome” e etc quando você sabe bem o que seu bebê tem, mas isso é tema para outro post HAHAHAHA).

RESPIRA <3

Bjos!

Comente!