Nossos 10 anos, a viagem, a saudade e o ciclone Franklin

Playa del Carmen – Mexico

Há cerca de 4 meses atrás, recebi um convite muito especial: uma amiga querida, que mora nos EUA, casaria no México, na bucólica cidade de San Miguel de Allende.

O casamento seria dia 5 de agosto, mas as festas já começavam dia 3 e teria brunch dia 6. Eu já estava encantada, daí coloquei o nome da cidade no Google e PAH! Que sonho!

San Miguel de Allende

Meu marido topou na hora e eu já sugeri: se íamos pegar um vôo longo como para Cidade do México, porque não antecipar a celebração dos nossos 10 anos juntos e expandir a viagem para Playa del Carmen?

A Viagem

Viajamos pela Aeroméxico e foi muito muito bom. Não só o serviço e atendimento foram impecáveis, como a aeronave era ótima. Fora que a Aeroméxico tem uma espécie de leilão de upgrade e 10 dias antes do vôo começa a mandar emails dizendo qual lance inicial para passar para a classe Executiva. Alguns dias antes demos o lance e meu marido (que mede 1.95m hahaha) teve uma viagem bem mais confortável.

Um flagra belíssimo que meu marido fez no vôo hahaha

San Miguel de Allende fica há 292km da Cidade do México. Foram 4 horas na ída e 3 horas na volta, fosse pelos pedágios (que não têm cabine separado para quem tem tag tipo Sem Parar – e a gente nem tinha mesmo com o carro alugado hahaha), fosse pelo transito dentro da Cidade do México, fosse pela estrada um pouco mais cheia.

Eleita a melhor cidade do mundo pela 2ª vez!

A estrada entre Cidade do México e San Miguel de Allende (56D) é larga, chega a ter 4 pistas em alguns trechos, mas há de se ter bastante cuidado com a pista do meio (cheia de buracos) e com os motoristas de caminhão que dirigem rápido e, algumas vezes, bem sem noção.

Passamos 2 dias em San Miguel de Allende, no MARAVILHOSOOOO hotel Rosewood, onde aconteceu o casamento. A vista do hotel após a cerimônia foi de tirar o fôlego:

afffffffffffffffff a vista de San Miguel de Allende pelo topo do Rosewood.

Avisei no ato da reserva (olha a dica, minha gente hahaha) que era celebração de 10 anos de casados. Façam isso sempre (avisem datas) pois o hotel pode sempre preparar uma surpresa (ou não – mas não custa tentar). No Rosewood nos surpreenderam com bolo e velas na sobremesa do almoço e também no quarto…

Nhoim

Depois de curtir a cidade e as festas do casamento, voltamos para a Cidade do México, para pegar vôo para Cancun e seguir para Playa del Carmen <3

Tchau, San Miguel de Allende, sua maravilhosa <3

Nós, Playa del Carmen e o maravilhoso Viceroy.

Que lugar!!

Em 2013 meu marido recebeu um prêmio e fomos levados para Playa del Carmen, há 40 minutos de Cancun. Nos apaixonamos pelo hotel, Viceroy Riviera Maya, e decidimos que em alguma ocasião muito importante voltaríamos.

O Viceroy é um hotel-boutique, de luxo, que não permite crianças abaixo de 14 anos. Por ser de luxo (lê-se: caro hahaha) que decidimos que seria em alguma oportunidade muito especial (mesmo). E uma década merece, né? <3

Todos os bangalôs têm piscina privativa e chuveiro quentinho externo e interno affff <3

Lembram do “avisar sobre datas especiais”? Pois no caso do Viceroy, nos surpreenderam lindamente no quarto <3

Cheio de pétalas e…

…velas <3

Quanto ao não poder crianças, para nós era bom para não piorar a saudade que já estava nos torturando das meninas enquanto fazíamos a mala (de ida hahahaha). Dessa saudade eu falo mais tarde.

Passeamos, tomamos muito sol, curtimos a famosa Coco Bongo (balada/show em Playa del Carmen e Cancun)…

Coco Bongo <3

Cuidar do casal

Quem me acompanha há um tempo sabe que eu sempre frisei os cuidados consigo mesma, o cuidado com o casal, o tempo com as amigas, ou seja, cuidar dos nossos outros papéis da vida, muitas vezes esmagados pelo mais intenso e maravilhoso (e muitas vezes cansativo) papel que adquirimos na maternidade.

Todo mês eu procuro fazer algum programa só com meu marido, um jantar que seja. De tempos em tempos nos damos um dia de massagem/jantar/hotel… Fazemos isso para darmos atenção e cuidarmos do que nos uniu antes de termos as meninas: o casal, antes do “pai e mãe”.

Um dia as meninas sairão de casa, vão para o mundo, estudar, trabalhar… E o que restará entre nós, se não nutrirmos o nosso amor de casal, a nossa parceria? Sempre penso nisso. Não precisa ser viagem, hotel e etc. Basta uma tarde no parque, um cinema a dois, algo que seja do casal. Assim EU penso.

O Ciclone Franklin

Chegamos no fim da tarde à Playa del Carmen. Jantamos à luz da lua refletindo o mar, uma coisa linda. No dia seguinte, um alerta: está vindo uma tempestade, um ciclone.

Imagina: você vai celebrar 10 anos de casado e quer ficar deitada no sol o dia todo… Daí tempestade. Um ciclone pode durar horas ou dias, então pensei: OREMOS. No dia seguinte o dia realmente virou durante a tarde, mas ainda dava para ler sossegada, ficar na piscina no quarto…

Esperando a chuva de verão passar… só que não. hahahah

De noite começou: ventania, tempestade, barulho das árvores no vento… Pelamor, que medo. O que me dava segurança era ouvir tudo apenas por fora do quarto (e não através do teto de sapê do bangalô) e, principalmente, o staff do hotel rindo um dos outros na chuva. Eles estão acostumados.

O pior momento acredito que tenha sido esse que vi da biblioteca do hotel:

Houve uma passagem da viagem que eu não dividi com vocês para não gerar preocupação. Logo no 1o dia inteiro de praia, o tempo virou. Recebemos um alerta de ciclone, o Franklin. Na madrugada para o 2o dia os ventos começaram e me assustaram a noite toda, as tempestades iam e viam, mas a pior foi essa aí do vídeo acima. O que me acalmava era a tranquilidade da staff do hotel, rindo um dos outros na chuva hahaha Eu olhava os alertas no site do Weather Channel e a @robertaehlers (acostumada com esses alertas), ia me ajudando e tranquilizando. Eu pensava naquele filme (história real) do tsunami, eu achava que o teto ia voar… De noite já nem parecia que tinha passado o ciclone, as mesas já na janela do restaurante de frente pro mar. No 3o, 4o e 5o dia o sol raiava forte, como se nada houvera hahahaha Que medo, viu? Mas passou. #Trip10AnosMarieCris

Uma publicação compartilhada por Blog Mamãe de Primeira Viagem (@mamaede1aviagem) em

Minha amiga querida Roberta, que cresceu acostumada com esses alertas em Miami ficava esclarecendo minhas dúvidas no  Whatsapp,  enquanto eu mandava as imagens dos alertas, dos mapas da tempestade se movimentando e tal. De noite, tudo mudou, já tinha gente jantando na areia da praia hahahaha

Daí pra frente foram 2 dias e meio de sol forte, sem chuva, para compensar.

A saudade

Viva a tecnologia <3

Se tem uma certeza que tivemos nessa viagem é que juntos não passaremos tanto tempo longe delas. Vamos repetir viagens a dois, mas em menos dias. Eu sei que as meninas não contam o tempo como nós, que se divertem… Mas meu marido sofreu demais.

Não é que eu não tenha uma saudade gigantesca, mas tenho um limite maior que meu marido, por ter sido criada de uma forma que me fez ter que lidar com a saudade sem sofrer, literalmente.

Minha mãe ficava em turnê por 3 meses, voltava às vezes por 2, 3 dias, mas eu me habituei a viver com saudade. Meu pai sempre morou em outra cidade/país (primeiro Rio, depois Paris – onde vive há 20 anos).

Da primeira vez que fui para Vegas cobrir a Expo fiquei 15 dias longe da Laura. Dessa vez doeu horrores e eu chorava. Mas uns 10 dias, com a tecnologia do whatsapp vídeo e as fotos enviadas pela família – em que elas riem e se divertem, deu. Hahahaha

Chip que funciona em 140 países!

Eu já usei um chip maravilhoso para falar e usar dados nos EUA. O Yes Brasil Orlando é incrível, por exemplo. Mas, e para o México?

Um amigo me indicou o SkillSim Mobile, que vende no Terminal 3 do Aeroporto de Guarulhos. Custa US$ 90.00 para dados e voz por 10 dias. Foi maravilhoso, sempre com sinal <3 Fica a dica!

SkillSim Mobile

Que venham os 20 anos!

O quarto no qual nos colocaram para o check out tardio <3 afff

A viagem foi um sonho e muito bom para nós. Ver que aos 10 anos a gente consegue não só  conviver (mesmo presos no quarto com um ciclone passando hahaha), como se divertir e ver que admiramos um ao outro não só como pais da Laura e da Julia.

Quando fizermos 20 anos (sim, QUANDO, não SE), Laura terá 15 anos e Julia 11: SOCORRO hahahaha Não sei se ainda sim faremos uma viagem longa, mas certamente vamos fazer algo para celebrar. NOS CELEBRAR.

Celebrem a vida, do jeito que der, do jeito que puderem. Celebrar é agradecer e gratidão é tudo de mais maravilhoso que podemos ter na vida.

Já pode voltar? (com as meninas hahahaha)

Comente!