O Brasil volta a ter surtos de Caxumba. Conheça os sintomas, como prevenir, como tratar e mais.

ill girl

Os números de casos de Caxumba registrados esse ano no Estado de São Paulo já é o maior desde 2008 (que teve, o ano todo, 3.394 casos), segundo o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) da Secretaria estadual de Saúde. O último levantamento, divulgado há pouco mais de um mês (dia 16 de julho), contou 842 casos SÓ ESTE ANO. Entre 2009 e 2015 a média de casos ficou entre 118 (em2014) e 671 (em 2015). (Fonte: JC Online)

E não é só em São Paulo, mas, principalmente no Sul e no Sudeste do Brasil o número aumentou muito comparado aos últimos anos  (Brasília, por exemplo apresentou 108 casos).

Eu tive caxumba aos 10 anos e apenas me lembro de muito repouso (além de inchaço no pescoço, claro).

O que é a Caxumba?

A maravilinda Dra. Ana Escobar (AMOOOOOOOOOOOOOO) explica nesse video abaixo:

Como ocorre a transmissão?
A transmissão da caxumba ocorre pelo ar, pelo contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas.

Como PREVENIR

A melhor maneira de evitar a caxumba é por meio da vacinação aos 12 e 15 meses de vida. Caso uma pessoa seja contaminada, ela não deve comparecer à escola ou ao trabalho durante nove dias após início da doença. É preciso, ainda, desinfetar os objetos que possam ter sido contaminados com secreções do nariz, da boca e da garganta do enfermo. Para isso, utilize um pano umedecido com detergente e álcool. Além disso, é importante que o paciente lave sempre as mãos, mas não somente com água: é necessário utilizar sabão e, se possível, finalizar com um pouco de álcool em gel. Essas medidas ajudam a evitar que pessoas próximas se contaminem.

health-innoculation-illustration-swscan04228

Mas qual a razão desse surto?

Para o diretor do Sesa, Walter Figueiredo, o vírus está circulando e tem encontrado pessoas que não estão devidamente imunizadas. “O próprio vírus está sofrendo algumas alterações e a vacina eventualmente acaba não tendo efeito em algumas pessoas”, explicou.

A orientação do Ministério da Saúde é que os bebês tomem uma dose da vacina com um ano e a segunda dose três meses depois. Crianças e adultos que não se imunizaram, devem proteger. “Quando tem mais de dois casos em uma determinada instituição fechada, seja uma empresa, uma escola, a gente vai nesses locais e faz uma vacinação de bloqueio para tentar segurar a propagação da doença”, disse o diretor do Sesa.

É muito comum que a 2ª dose (dada aos 15 meses do bebê, 3 meses após a primeira) seja esquecida ou subestimada (“já dei uma com um ano, pra que dar outra agora já?”) e as chances de isso contribuir para o surto é enorme.

Quais os sintomas da Caxumba?

A Caxumba é mais comum nas estações mais frias do ano. Fique atento à alguns sinais típicos da doença, que aparecem depois de duas ou três semanas após a contaminação:

  • Uma das principais características da doença e que a maioria das pessoas conhece é o aumento das glândulas salivares próximas às orelhas (o vírus da caxumba provoca inflamação nas glândulas responsáveis pela produção de saliva), causando edema no rosto. O inchaço costuma afetar os dois lados da face e permanece por até dez dias.
  • Febre, calafrios, dores de cabeça e dor ao mastigar ou engolir também são comuns no período de manifestação da doença. Entretanto, como aproximadamente de 30% a 40% das infecções são assintomáticas, é possível que a pessoa desconheça que tenha tido caxumba.
  • Após a puberdade, a doença pode causar inflamação e inchaço doloroso nos testículos (orquite) ou nos ovários (ooforite), que se não tratados a tempo, podem acabar levando à esterilidade (é mais raro, mas acontece, como explico abaixo)..

Os seguintes sinais sugerem complicações da doença e exigem assistência médica imediata:
* dor e inchaço nos testículos (orquite) e na região dos ovários (ooforite);
* náuseas, vômitos, dor no abdômen superior (pancreatite);
* rigidez na nuca, dor de cabeça e prostração (meningite).

Caxumba “desce” para os órgãos genitais?

Quando eu tive caxumba, eu lembro que minha mãe falava que eu tinha que ficar de repouso e, principalmente, que não para eu não pular na cama (amava, como qualquer criança hahaha). A razão? Que a Caxumba poderia “descer”.

Antigamente se dizia até que era preciso deitar com as pernas levantadas para evitar que a “papeira” (caxumba) descesse. Isso é mito. Como disse a Dra. Ana Escobar no vídeo acima, infecção pode sim atingir outros órgãos, mas isso é independente do repouso ou não. Quando a caxumba atinge os testículos, é chamada então de “orquite pós-caxumba”. A infecção é temporária, porém na maioria das vezes o testículo pode sim ficar prejudicado. Mais raro é ser grave a ponto de prejudicar a fabricação dos espermatozoides.

Nas mulheres o vírus pode atingir os ovários causando uma inflamação chamada “ooforite”

“Algumas complicações podem ser a orquite, que a gente brinca que desceu. Aí tem que fazer a elevação do testículo, colocar gelo e às vezes tomar corticóide. A ooforite, que é a inflamação dos ovários, dos pâncreas e, em alguns casos, até uma meningite, uma encefalite, que é uma inflamação do sistema nervoso central”, explica a médica Estela Maura Casttelari. (fonte: G1)

(Ilustração: Carl Larsson)

(Ilustração: Carl Larsson)

Tratamento

Não existem drogas específicas contra a caxumba. A doença é autolimitada e o tratamento, sintomático com analgésicos, antitérmicos. O doente deve permanecer em repouso enquanto durar a infecção.

Recomendações

* Não se automedique, nem medique a criança antes de consultar um médico e ter o diagnóstico de certeza de caxumba, doença também conhecida como parotidite infecciosa ou papeira;

* Mantenha o doente em repouso até que tenham desaparecido os sintomas;

* Ofereça-lhe alimentos líquidos ou pastosos, que são mais fáceis de engolir;

* Lembre-se: adultos que não foram vacinados ou não tiveram a doença podem ser infectados pelo vírus da caxumba e por isso devem ser vacinados;

* Atenção mulheres que nunca tiveram caxumba, nem tomaram a vacina: procurem um posto para serem vacinadas antes de engravidar. Na gestação, a doença pode provocar abortamento.

Atentem-se ao calendário das crianças, procurem não atrasar as vacinas (esse ano está duro conseguir manter em dia com tantas em falta, mas aqui tem um post com os calendários e apps de lembretes online). Ao sinal de qualquer desses sintomas acima na criança, procure o pediatra ou vá para o Pronto Socorro para diagnótico mais breve possível. Ah! E muitos adultos estão nesse surto, portanto, atente à sua saúde e, ao sinal de possíveis sintomas, mesma coisa: procure um médico ou vá ao Pronto Socorro. NÃO SE AUTO MEDIQUEM. É dentro de casa umdos principais lugares onde o vírus pode se espalhar, dado o contato maior entre a família (beijos, saliva, copos, talheres…).

Beijokas!

Comente!