O Corticoide é bom para muita coisa, porém eu o odeio :(

(Imagem:  © Nadia Richie Studio/ImageZoo/Corbis)

(Imagem: © Nadia Richie Studio/ImageZoo/Corbis)

Esse ano foi um pouco cruel com a minha saúde. Acho que dos 9 meses que passaram devo ter tido saúde absoluta uns 2, no máximo. Tossi mais que minha vida inteira, desenvolvi sinusite, coloquei pelo nariz secreções de cores nunca antes vistas por mim (desculpe os detalhes) e etc…
 
Depois de tanto pelejar, tomar remédios mais básicos, fazer raio x do pulmão, exames de sangue, ver amigos tendo pneumonia e infecção pulmonar, entrei em um certo desespero. Meu médico me receitou um antibiótico e eu fui seguindo ele normalmente. Foram 20 dias tomando. Eu sei que não se deve tomar nada alcóolico quando se toma antibiótico mas em um dia tomei uma tacinha – intercalada com muita água – e pronto: acordei parecendo um baiacu de tão inchada.
 
Liguei desesperada para o meu médico e soube que eu tomava corticoide. Naturalmente ele já retém líquido, com álcool então… Entrei em “desmame” do remédio por 10 dias, ou seja, foram 30 dias tomando corticoide, sendo que 20 deles tomando 40mg (muita coisa, acredite) e o resultado estético: 6kgs mais inchada.
 
Acompanhado disso, uma confusão hormonal se desenvolveu em mim. Eu sempre tive episódios de disfunção hormonal, porém estabilizou quando comecei a tomar anticoncepcionais. Esse ano eu tirei o anel anticoncepcional pois meu plano era engravidar logo no primeiro semestre. Minha pele respondeu à retirada do anticoncepcional (sem colocar outro em seguida) estourando divinamente em espinhas (não tinha assim desde que tirei para engravidar em 2010 – e alô pele de adolescente) e, claro, também me dando aquela inchadinha básica. Com a entrada triunfal do corticoide, meus hormônios ficaram absolutamente loucos e minha menstruação chegou a atrasar 26 dias (sim, fiz 4 exames de farmácia e um de sangue nesse período para saber se não estava grávida). Ou seja, além de me sentir enorme de inchada, ainda desregulou tudo 🙁 Corticoide, você pode ser ótimo porém eu não gosto de você.
 
Quando eu falava para outras pessoas o tempo e a quantidade de corticoide eu tomei, o susto era igual. Dizem que até 7 dias o corpo não responde como o meu respondeu. Claro: 20 dias com doses meio cavalares… E a tosse ainda voltou pouco depois. Que beleza só que não.
 
Esse blog é sobre maternidade, eu sei. Mas o foco sempre foi a mulher. E também um espaço para desabafos meus hahahaha Na verdade muitas mulheres já tiveram que tomar isso alguma vez, então, comouso minhas experiências para falar dos mais diversos assuntos, resolvi escrever sobre o corticoide. Nesse caso, quando direcionado para crises alérgicas como foi comigo.
 
A Laura já usou Aerolin gotas dentro do inalador (CLARO que com indicação e receita do pediatra) e fui perguntar sobre o corticoide em uma coisinha tão pitica quanto à Laura quando fez. A pediatra dela me explicou que o corticoide MESMO evapora no processo de inalação. Tudo com indicação do pediatra é mais seguro, mas pergunte SEMPRE. Não façam como eu fiz comigo mesma e tomem sem questionar. Eu poderia ter tido um outro tratamento mais longo (ou mais intenso, com internação) e não ter passado esse perrengue de, até agora (4 meses depois do término do “desmame”), estar estagnada com esse inchaço, mesmo com dieta, drenagem, exercícios… Já ouvi que não adianta nada fazer tudo isso pois o corticoide “sai sozinho” seja em 3 meses, 6 meses ou até um ano (affffffffffffffffffffff). Mesmo assim, não custa tentar ajudar o corticoide a sair de mim fazendo essas coisas, né? Hahahaha
 
Pode parecer besteira, mas depois de meses fazendo todo aquele regime e esforço para eliminar aqueles kgs todos e ainda melhorar minha saúde (como contei nesses posts aqui), é triste não conseguir voltar ao que consegui chegar. Fora que a parte hormonal atrapalhou meus planos para engravidar, alterou meu humor e etc…
Então vamos lá:
 
O corticoide
Os glicocorticoides, também chamados de corticoides, são drogas poderosas, derivadas do hormônio cortisol produzido pela glândula supra-renal.  Os corticoides são frequentemente usados como parte do tratamento de doenças de origem inflamatória, alérgica, imunológica e até contra alguns tipos de câncer.
Os glicocorticoides são hormônios esteroides, não-anabolizantes e não-sexuais, produzidos pelo córtex da glândula supra-renal. O hormônio produzido naturalmente pelo nosso organismo é o cortisol. Níveis normais de cortisol são essenciais para a nossa saúde, pois este hormônio tem ação no metabolismo da glicose, nas funções metabólicas do organismo, na cicatrização, no sistema imune, na função cardíaca, no controle do crescimento e em muitas outras ações básicas do nosso corpo.
O cortisol é um hormônio de estresse. Ele recebe esse nome, pois sua produção eleva-se toda vez que o nosso organismo encontra-se sob estresse físico, como nos casos de traumatismos, infecções ou cirurgias. O cortisol aumenta a disponibilidade de glicose e energia, eleva a pressão arterial, aumenta o tônus cardíaco e prepara o organismo para sofrer e combater insultos.
 Apesar de ser um medicamento muito eficaz contra várias doenças graves, os corticoides apresentam um grande defeito: um perfil muito extenso de efeitos colaterais.
 
O Corticoide que tomei: Prednisona = 4-5x mais potente que o cortisol. (#QueTal)
 Os glicocorticoides usados na prática médica são versões sintéticas, produzidas laboratorialmente, do hormônio natural cortisol. Existem várias formulações sintéticas de corticoides, as mais usadas são a prednisona, prednisolona, hidrocortisona, dexametasona, metilprednisolona e beclometasona (via inalatória).Todos os corticoides sintéticos são mais potentes que o cortisol natural, exceto pela hidrocortisona, que apresenta uma potência semelhante.
 60 mg de prednisona apresentam o mesmo efeito que 2 mg de dexametasona ou 300 mg do cortisol natural. Devido a essa potência maior dos corticoides sintéticos, conseguimos administrar nos pacientes doses muito acima dos níveis fisiológicos do cortisol, o que é essencial para o tratamento de algumas doenças. As doses diárias equivalentes a 5-10 mg de prednisona são chamadas de doses fisiológicas por serem compatíveis com a produção diária natural de cortisol. Nestas doses, os corticoides sintéticos apresentam apenas efeito anti-inflamatório. Eu tomei 40mg por dia……………. aff
 A prednisona e os corticoides em geral são drogas que conseguem modular processos inflamatórios e imunológicos do nosso organismo, tornando-se extremamente úteis em uma infinidade de doenças. Qualquer doença de origem alérgica, inflamatória ou autoimune pode ser tratada com algum desses corticoides.
 
Efeitos Colaterais
 A imensa maioria dos efeitos colaterais ocorre nos pacientes que fazem uso prolongado e com doses elevadas de corticoides por via oral ou intravenosa. Isso não significa, porém, que as outras formas de administração de corticoides seja isenta de efeitos adversos.
 Ao mesmo tempo que são drogas extremamente úteis em uma variedade de doenças graves, os corticoides apresentam, principalmente se usados a longo prazo, uma lista imensa de efeitos colaterais indesejáveis, que variam desde problemas estéticos até infecções graves por inibição do sistema imunológico.
Os efeitos colaterais estão intimamente relacionados à dose e ao tempo de uso. O uso esporádico e por pouco tempo não é capaz de levar aos efeitos adversos que serão descritos a seguir. Não é preciso se preocupar com a prescrição de corticoides por apenas uma semana, mesmo que este esteja em doses altas.
Toda vez que o uso de corticoides em doses elevadas ou por tempo prolongado for cogitado, é importante colocar na balança os possíveis benefícios e os prováveis efeitos colateiras.  O uso estará indicado sempre que o médico julgar que a doença a ser tratada é mais grave que os potenciais efeitos adversos.
Após a leitura deste artigo você pode ficar com a impressão de que a prednisona e similares são drogas terríveis. É importante salientar que o uso prolongado e em doses elevadas só costuma ser indicado em doenças graves, que podem levar à morte ou a graves limitações.
 
Nesse link você pode achar todos os efeitos colaterais, mas eu coloco abaixo os que eu passei:
– A partir da dose de 5 mg por dia há uma clara tendência ao ganho de peso e acúmulo de gordura na região do tronco e abdômen. Quanto maior for a dose do corticoide, maior é o ganho de peso.
– A lista de possíveis efeitos colaterais dos corticoides é muito extensa. Outros efeitos adversos relativamente comuns são: retenção de líquidos, alterações menstruais, gastrite, úlcera péptica, esteatose hepática, pancreatite e infertilidade.
 
A importância do “Desmame” da medicação
 Como o cortisol é um hormônio essencial para a vida, o paciente que suspende o corticoide sintético abruptamente entra em um estado chamado de insuficiência supra-renal, podendo evoluir para choque circulatório, coma e óbito, se não for rapidamente atendido.
Por isso, a retirada dos corticoides após uso prolongado deve ser sempre feita de modo lento e gradual. Nunca se deve suspender o tratamento sem conhecimento médico.
 
É isso, queridos: SEMPRE sigam a receita. Questionem, saibam o que você está tomando e tudo que você ou não fazer enquanto toma esse medicamento. Veja se há outro medicamento, outro tratamento, caso o que lhe foi dado não te agrade, mesmo que seja mais longo. PERGUNTEM.
 
Bjos!
 
(Fonte deste post: http://www.mdsaude.com/2009/10/prednisona-corticoides.html Dr. Pedro Pinheiro, Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (U.F.R.J) em 2002. Especialista em Medicina Interna e Nefrologista. Títulos reconhecidos pela Universidade do Porto e pelo Colégio Português de Nefrologia)

 

 

Comente!