Preparativos…

Kit Berço da nossa filhota (Foto: Catálogo do site Pottery Barn Kids)

Ao entrar no 3º trimestre e suas novas experiências (o glamour do post passado e as delícias do crescimento e movimentos dela no meu ventre), uma nova fase também começa: a da “ansiedade gostosa” referente ao que tem que ser feito antes que ela nasça.

Logo que soubemos que era menina, eu e meu marido passamos a pensar em um tema para o quarto que parecesse conosco e que fugisse do rosa, das bonecas, das bailarinas ou de algo que fosse muito óbvio e “girly”. Como eu disse em um post anterior, logo no início da gestação fomos à Feira da Gestante e Bebê, pois lá a variedade é enorme e poderíamos ter uma luz do que buscávamos para ela. Encontramos uma singela bandeja (para colocar o kit higiene – garrafa térmica e potinhos para a troca da fralda) que, na lateral, trazia borboletas recortadas. Foi ali, naquele pequeno detalhe, que começou a se desenhar o quarto da nossa filha.

Ele iria a trabalho aos EUA em alguns dias e, sabendo que o kit berço (jogo de cama com protetor lateral) seria muito mais em conta lá fora, passamos a olhar alguns sites de bebê e criança que tivesse algo do nosso gosto. Encontramos um que não só não era todo rosa, como tinha borboletas, passarinhos e corujas (foto que encabeça o post). Tudo em patchwork, como nós gostamos. Na foto do site, a parede era verde clara e isso nos deixou ainda mais animados.

Eu, como boa pisciana, passei a olhar na internet os benefícios da cor verde no quarto do bebê e alguns são: “Uma das cores mais indicadas é o verde-claro, que é a cor do crescimento e da saúde” (fonte: site DoBebe) ou “O verde-claro é ótimo para quartos, principalmente de criança. Uma boa cor para renovar as energias e marcar um novo ciclo como, por exemplo, um novo lar” (fonte: site Personare).

Nessa mesma época, surgiu um convite do projeto “Sua Casa, Seu Orgulho” para registrar a transformação do quarto para a chegada do nosso bebê. Poder fazer isso com a ajuda de arquitetos e consultores, para nós, foi maravilhoso. Eles vieram, gravaram o antes, o durante, o depois e fizeram um episódio lindo para a websérie do projeto. Eu amei a edição e chorei horrores. Além de ter ficado lindo, ainda tenho esse registro para mostrar para a nossa filha quando ela crescer…

O resultado está AQUI.

Por indicação de amigas muito queridas, fui parar na Dip en Dap, uma loja linda demais. A Ingrid, uma baiana arretada e mãe de 3 meninas, foi de extrema importância para nós. A experiência dela nos ajudou a escolher móveis que fossem do tamanho certo, sem que parecesse “peru no pires”, como diz minha mãe, e nos apresentou diversos estilos, de provençal a moderno. Acabamos nos encontramos diversas vezes e, com o tempo, o tema foi ficando mais para coruja e passarinho. Ainda há borboletas, mas estão em menos evidência. O quarto, afinal, será como um jardim, que foi tomando forma com o tempo.

O berço escolhido e a corujinha feita pela Dip en Dap para decorar o quarto (Foto: Arquivo Pessoal)

Como diz Vovó de Belém (minha mãe só quer ser chamada assim agora hahaha), nossa filha não “pediu para nascer”, então, quanto mais confortável e prontinho estiver o cantinho dela , melhor para o seu bem-estar. Geralmente os móveis levam de 40 a 60 dias para ficarem prontos. Por isso, queridos, mesmo que pareça cedo, tentem se organizar o quanto antes para o quartinho do bebê. Não só pelo prazo dos móveis, mas pela facilidade de planejar os pagamentos. Além disso, isso trará tranquilidade também para os pais, que, em breve, iniciarão uma rotina cansativa e necessária.

Até loguinho, queridos 😉

Esse material foi produzido para publicação em Veja SP

Comente!