Quem decidiu que mães são outro tipo de gente?

Uma mãe em Vegas?

No show do Boyz II Men <3

Esse será o 3º ano que cobrirei a maior feira de puericultura dos Estados Unidos: a ABC Expo, em Las Vegas. Todas as vezes peguei a semana toda e fiz mil coisas legais.

Para conseguir os patrocínios para a viagem desse ano fizemos um monitoramento da hashtag na viagem do ano passado (patrocinada então pela Gol/Delta) e o resultado foi incrível: mais de 5 MILHÕES de pessoas alcançadas com os posts da viagem.

Planejo tudo antes, compro ingressos de shows, reservo meus restaurantes e curto MUITO a viagem. Vou sozinha, encontro amigas, me divirto horrores. COMO QUALQUER MULHER.

Esse ano, quando fui apresentar o relatório com esse resultado incrível para a equipe que cuida do turismo de Las Vegas, qual não foi a minha surpresa? Não importa o sucesso da viagem, o meu público não é perfil deles e não podem me apoiar.

Fiquei: ???????????????????????

Mães são MULHERES, são GENTE.

Um brinde às mulheres!

Meu foco indo para Vegas é justamente mostrar que é uma cidade cheia de coisas para crianças (e meus posts sobre Vegas ano passado tiveram exatamente esse objetivo: Vegas para Crianças, destacando hotéis e programas bacanas para famílias).

Não só isso: acho Vegas uma cidade maravilhosa para um Baby Moon, viagem para comprar enxoval com o parceiro. Muita gente escolhe Orlando e Miami, mas os parques de Orlando têm muita restrição para gestantes e Miami não tem tanto entretenimento disponível quanto Vegas.

Em Vegas você encontra milhares de restaurantes estrelados, de tudo que é tipo de culinária, românticos ou não. Em Vegas você tem muitos shows, desde artistas mundialmente conhecidos (Celine Dion, Britney Spears e muitos outros em turnê) até vários tipos de Cirque du Soleil, shows incríveis de mágica (David Copperfield maravilhosoooo, entre outros) e etc.

Vegas, 2016

Mas não: família não é o target (alvo). Eu realmente não entendo e não concordo, mas beleza.

Eu estou dando mais um leque de opções turísticas, estou mostrando mais um olhar sobre Vegas que não sejam somente jogos, pool parties, álcool e etc. Fora que: um casal não pode ir pra balada, beber, jogar? Morremos quando viramos pais?

A maravilhosa Rafa Brites e a canonização das mães.

Esse pré-conceito não me tirará de Vegas pois não só é importante para mim profissionalmente, mas EU MEREÇO ESSA DIVERSÃO hahahaha

Eu já estava com isso na cabeça há meses quando, semana passada a maravilhosa da Rafa Brites postou um texto que resume TUDO sobre essa canonização das mães. Abaixo:

Não canonizem as mães. Engraçado,depois que virei mãe tenho sentido uma cobrança por uma postura angelical, imaculada e assexuada. Qualquer movimento numa dança, decote ou entornada em um copo de gin escuto: Olhaaa a mamãe do Rocco ai curtindo adoidado. Em um festival de música eu já pra lá de Bagdá escuto: Quero ver acordar pra cuidar do baby hein!! Nossa batom vermelho? Seu filho vai ficar com ciúmes da mamãe… entre outros vários comentários infelizes, a maioria machistas e vindo de mulhes. Por Favor as pessoas que teceram esses comentários não fiquem chateadas comigo. Não é culpa de vocês! Temos sim um inconsciente coletivo de acreditar que a mulher ao virar mãe, por ser algo tão divino e sagrado, passe a ser candida, e não possa mais ser sensual, provocante evitando assim,ser alvo de olhos furtivos. Algo bem diferente para os pais que desde a gravidez se parabenizam com um tom de garanhão! Aíiii mandou ver hein!! Talvez se vc acabou de parir e está de camisola, absorvente embaixo e em cima, sem tomar banho nem se olhar no espelho até faça sentido se conformar com a canonização…Mas saiba. A hora que a ficha cai de COMO somos M U L H E R E S, por ter gerado, parido, adotado… alimentado outro ser. Vem que vem uma auto confiança tão forte que inevitavelmente nos torna mais sensual. Ao contrário do que a sociedade gostaria, eu perdi ainda mais o pudor. Busco o prazer.Amo mais o meu corpo. Me sinto uma pessoa muito mais interessante. Não consigo ter ciumes das menininhas novinhas lindas em uma festa. Não preciso agradar ninguém. Não tenho mais tempo para o mais ou menos. Meu comportamento e meu bom senso sempre foram e continuaram regídos pelos meus valores. Detesto a posição de mãe mártir. Vítima. E é uma armadilha fácil se cair. E AS MÃES SEPARADAS? Essas então… coitadas!Se desse as família petrificavam-nas! Então olha só: Sigo curtindo a minha vida ainda mais! Posso ser safada viu? Não se preocupem se vou acordar 05:30 para cuidar do bebê. Talvez sim.. Talvez acorde ao 12:00 e fale…meu filhooooo mamãe ferveu tanto ontemmm… dancei tantooo ontem….que dormi até mais tarde, agora tô pronta pra nossa farra!! Vai entender que sagrada é a liberdade !

Uma publicação compartilhada por Rafa Brites (@rafabrites) em

Se família já não é target para certas coisas – que englobam DOIS ADULTOS que foram considerados outro tipo de gente pós a chegada dos filhos, o que dirá das mães?

Desde o momento em que todo mundo se vê no direito de passar a mão na barriga de uma gestante (há quem não se importe e há quem não curta essa intimidade toda) e jamais cogitou passar a mão nas partes pudicas do pai da criança “pelo bom trabalho” até a questão da mãe na balada: quando deixamos de ser gente?

Oi, #MamãeTambémBebe ok?

Vegas, 2016

Quem foi que inventou que a mãe não bebe, não dança, não pode ir pra balada, deve ser uma mulher perfeita e pudica? Que os pais – aquele casal composto de duas PESSOAS, que se uniram antes da família crescer – não podem mais fazer sexo, namorar, sair? Gente, que isso?

Mãe, como qualquer outra mulher, faz O QUE BEM ENTENDER.

Óbvio que uma mulher não deve beber amamentando. Óbvio que não estou generalizando: há que não curta beber. Mas e quem gosta? É menos mãe? Um decote (veja bem o exemplo que eu tenho em casa ahahah) faz de uma mulher menos mãe? Quem disse que somos seres imaculados, que não erram ou não devem errar? Que pavor disso.

Pleno 2017 e a Rafa Brites tem que escrever um post desse para dar noção para as pessoas. E cá estou eu reforçando ele, falando mais sobre. Sério, gente?

Sim, é cultural. Sim, é machista. Sim, é antigo. Mas, quem disse que isso não pode – E DEVE – mudar?

Bora na corrente da humanização das mães, galera!! Oremos <3

Comente!

  • Nanna Pretto

    Ai, que bom que tem mais e mais pessoas falando sobre isso.
    Tiram a nossa identidade de mulher sempre que uma barriga cresce.
    E antes de mãe, gente, todas nós somos mulheres!

  • gleidoca_direito

    Concordo plenamente com o q falou. Ainda não sou mãe, mas pretendo ser e, justamente, lutando contra as cobranças pré estabelecidas por nossa sociedade. Pai e mãe são exemplos tb de diversão, amor e liberdade, e isso não tem nada a ver com irresponsabilidade! Adorei o post Mari!