Vaidade infantil: como sempre, equilíbrio.

A vaidade da Laura

Desde os 2 anos de idade, Laura gosta de escolher as roupas que vai vestir. Claro que em algumas ocasiões a gente explica que para onde vamos aquela roupa não ficaria muito legal e tal. Mas achamos importante ela ter liberdade de se expressar, através de roupa e o que seja.

Da mesma forma que com a roupa, Laura começou a demonstrar interesse por maquiagem cedo, acho que com uns 3 anos. Seguramos um pouco, mas depois fomos direcionando ela sobre quando era tudo bem usar e quando seria inadequado (escola, por exemplo).

No aniversário de 3 anos ela pediu que tivesse um daqueles camarins contratados e fez cabelo, maquiagem, unha… Ela sempre amou fazer a unha, aliás. Nesse aniversário de 5 anos teve camarim de novo.

No aniversário de 3 anos: de unha à rímel, permitimos tudo. Porém, ficou claro para ela que era um dia especial e não algo recorrente.

Vemos a maquiagem e a questão das roupas não só como uma maneira de se expressar, mas também como o “brincar de fantasia” e também como algo lúdico. Mas, o mais importante: é algo DELA.

Eu não tenho essa vaidade, embora passe corretivo e rímel todos os dias e me maquie para eventos. Não a incentivamos nisso, é genuíno dela. Minha mãe também não é, então ou foi de ver minha sogra ou realmente é ela mesmo.

A Vaidade em equilíbrio.

Menina-Moleca <3

Por ser algo dela, nós não bloqueamos ou inibimos isso nela. Queremos que ela seja ela e se desenvolva, tendo segurança nas escolhas dela – enquanto observamos e guiamos sempre que necessário.

Laura é vaidosa, mas uma vaidosa de joelho ralado e roxos nas canelas. Gosta de batom e pediu maquiagem para o Papai Noel no Natal passado, mas se joga de patins, corre descalça, corre, cai e levanta.

Ela sabe que batom vermelho não é legal para ela nessa idade (e deixamos às vezes em casa) e que na escola não é legal ir de maquiagem. Entende e respeita isso.

Um palmo de corte e… parece que não cortou nada hahaha

Laura nunca havia cortado o cabelo. Antes éramos nós os medrosos para que ela não perdesse os cachinhos, depois foi ela a apegada aos cachos e se recusava. Cortou pela primeira vez há dois dias e UFA os cachinhos ficaram! Hahahah Cortou um palmo e nem parece. O que ela gostou mesmo? Usar roupão, relaxar no lavatório (ela dormiu hahaha) e a massagem pós lavagem. <3

A vaidade x Adultização

Ela gosta de escolher do sapato ao laço/tiara do cabelo. Estando de acordo com o destino, por que não?

Nosso maior pavor quanto à vaidade infantil era a possível “adultização” da criança. Não queremos jamais que ela pule fases e sim curta demais a infância, a fase em que ela está. Ser criança é tão bom…

E olha que quando eu não era mãe e via meninas de batom, achava aquilo estranho. Mais uma vez ele: o cuspir para cima e cair na testa hahaha Hoje eu percebo que, como em muitas outras coisas, o equilíbrio é tudo.

Na festa de 5 anos: camarim, fantasia: LÚDICO <3

Não posso inibir a Laura, não deixar ela se expressar. Estamos aqui para guiá-la e mostrar o caminho, mas não censurá-la ou vetar sua personalidade.

Palavras da psicóloga sobre os limites da Vaidade infantil.

Semana passada fomos convidadas para falar sobre isso no Domingo Espetacular, da Record. A matéria ficou bem legal, e fala também da vaidade dos meninos, além de – o mais importante – trazer a psicóloga Thaís Quaranta falando sobre os limites da vaidade infantil.

O vídeo está abaixo, com a matéria completa, mas quero destacar uma frase da psicóloga: “Há crianças que são mais incentivadas pela beleza e aí, se aquilo se torna um padrão, ela vai começar a crer que as pessoas só vão gostar dela, se estiver bonita.”

De novo e sempre: equilíbrio sempre!! Bora curtir essa infância linda <3

Beijos!

Comente!