“Você TEM QUE ser mãe e viver esse amor”. Não, seja mãe se você QUISER.

54897765c20a1_-_rbk-upset-mother-1-0611-xl

Passei o Dia das Mães longe das minhas meninas, fazendo show em Porto Alegre com a minha mãe. Foi lindo o show e amei estar com a minha mãe nesse dia, mas doeu demais cada minuto longe das pitucas. Sensível, com muita saudade das pequenas e pisciana como sou, tive um mal estar enorme ao presenciar uma cena na sala de embarque do aeroporto de Porto Alegre, voltando pra casa.

“Para de brincar com essa água SUA BOSTINHA!”

“Não, você não quer beber a água, você quer é TIRAR A MINHA PAZ, ME INFERNIZAR!”

(Criança chora, pedindo a água de volta, que a mãe arrancou da mão dela)

CALA A SUA BOCA, SUA BOSTINHA! Quer que eu te coloque de CASTIGO COM A BRUXA?!”

Meu coração do tamanho de uma ervilha, olhando aquela menina que devia ter uns 4 ou 5 anos e que não estava aprontando, correndo, fazendo birra… E NEM SE ESTIVESSE. Uma criança que não pediu pra nascer, que está começando a vida lidando com essa agressividade (talvez achando que isso seja normal, não sei), que vai ter marcas desse tratamento “de fardo” emocional e psicologicamente. Fora que pensei nas muitas maneiras que uma criança se descobre e descobre o mundo, e portanto estar com a garrafinha de água sem beber poderia ser apenas uma brincadeira da menina, algo lúdico, sei lá…

Dividi no twitter aquilo que eu estava presenciando e li relatos de seguidores que ouviram coisas do tipo por anos e que até hoje ouvem DA MÃE coisas como: “não tenham filhos, é um atraso de vida”. Essas pessoas disseram que fazem tratamento psicológico até hoje e que só enxergam hoje que sofreram violência verbal e que eles não tinham culpa daquilo. Uma menina inclusive me disse que  por conta disso não sabe se vai querer ser mãe. Eu respondi que ela saberá SE quiser mesmo pois a gente simplesmente sabe, mas que não tem que se sentir culpada ou mal por não sentir essa vontade.

A maternidade não é fácil não. Não é fácil para quem deseja engravidar, para quem ama incondicionalmente o bebê. Imagine uma pessoa que não sabia mesmo se queria ser mãe e acabou engravidando porque “era o próximo passo”, por pressão externa, por ouvir que “uma pessoa não sabe o que é amor de verdade até que seja mãe”? Eu quero saber quem inventou essa de que TODA MULHER DEVE SER MÃE. Porque, olha, se uma mãe pede respeito pela forma como cria seu filho, toda mulher deve ser respeitada por não querer ser mãe.

c0016448ts

Eu realmente não gostaria de não viver esse amor incondicional, essa felicidade que eu sinto só de olhar para as minhas meninas. Eu viro criança com elas, eu sinto um amor inacreditavelmente infinito. Mesmo nas fases difíceis, nos dias mais cansativos, eu não trocaria por nada o que eu vivo com elas, por causa delas. Mas essa sou EU.

Maternidade é difícil sim e a pessoa tem que querer – de coração – ser mãe. Essa coisa de ficar: “você TEM QUE ter filhos, o amor é incondicional” é não respeitar a vontade da mulher e ainda pode vir a deixar uma criança refém do sentimento que ela pode vir a ter na maternidade. Ou seja, a mulher sofre e a criança também. É na criança que aquela mãe vai descontar suas frustrações, é a criança que ela vai culpar…

Não sei se o caso dessa mãe do aeroporto era esse. Não a conheço e não sei se ela trata sempre a filha assim, mas me assustei com o que vi e ouvi. A cena me inspirou a escrever esse post pois me fez pensar nas muitas mulheres que não têm certeza se querem ter filhos e sofrem preconceito e pressão da sociedade por isso, como se tivessem obrigação de gerar e criar um filho (ou até condições emocionais ou financeiras de ter filhos).

Eu sempre digo aqui que uma coisa que é boa pra uma pessoa não necessariamente é boa para outra. De produtos à experiências, não importa. Como falei no post passado, mulheres não devem ser generalizadas. E com algo tão sério como a maternidade não seria diferente.

Sei que é algo automático perguntar quando a pessoa vai ter filhos e entendo isso (e faço também, de certa forma e dependendo da intimidade hahaha), mas acho que seria mais bacana falar sobre si, do que aconselhar alguém a ter filhos como se isso fosse uma realização para todas as pessoas. “Ah, eu amo ser mãe e não imagino minha vida sem elas” é diferente de “NOOOOOOOOOSSA, VOCÊ TEM QUE SER MÃE! É A MELHOR COISA DO MUNDO!” Melhor coisa do mundo PARA MIM, isso sim 🙂

Bjokas 😉

P.S.- Conheço pessoas que usam o termo “bostinha” como algo carinhoso com crianças. O que me chocou foi a maneira com a qual foi dita, com agressividade, e dentro do contexto das frases seguintes. Enfim, triste.

Comente!